São Benedito (CE): Correio Ibiapaba encerra edição impressa. Última edição sai sexta (29)

Desde 2016, que o encerramento do Correio Ibiapaba foi anunciado pelo editor e proprietário do jornal, Luis Antonio Gomes. Em seu mais recente livro, 'Textos & Crônicas - 22 anos de Ceará', lançado em 12 de janeiro, Gomes relatou pela primeira vez que esse ano seria o último de circulação do CI na Ibiapaba.

"Foi um processo que teve início no ano passado, por conta de algumas mudanças na minha vida pessoal. Que fique bem claro, não tem nada a ver com crise ou qualquer motivo econômico", explica.

A 1ª edição do jornal saiu em novembro de 2009. A periodicidade do jornal à época era bimestral, mas isso só aconteceu nas duas primeiras edições. A partir de março de 2010, o jornal passou a ser mensal. Em 2013, até o mês de agosto a publicação passou a ser quinzenal e, ainda naquele ano, voltou a ser mensal.

"Foi um dos erros que cometi em relação ao jornal. A ideia de fazer duas edições no mês nos sobrecarregou, a logística era pesada", conta Gomes. "E a pior coisa que aconteceu, chega ser até engraçado agora, foi quando chegou uma edição nova e ainda estávamos distribuindo a anterior", relembra.

Linha Editorial ' Foram 95 edições do jornal com destaque para o potencial da Serra da Ibiapaba. As matérias do jornal sempre foram positivas, sem entrar em polêmicas e reportagens negativas. "Optamos por esse caminho mais tranquilo, de boas notícias. Antes do Correio, eu já tive experiência com jornal e revistas. Aqui mesmo em São Benedito, fui durante dois anos editor de um jornal de uma escola privada". Luís António acrescenta que o jornal passará um período na Internet e que atenderá os colecionadores do jornal que quiserem adquirir edições anteriores.

"A gente deixou de renovar assinaturas desde agosto, mas continuamos a entrega das assinaturas. Aliás, só tenho a agradecer o apoio dos assinantes, dos anunciantes e de algumas instituições, pois eles permitiram que a gente pudesse chegar tão longe". "Por opção nossa, o jornal não veiculou publicidade paga das nove prefeituras da Ibiapaba", conclui Luís António Gomes.
Compartilhar no G+