Ferroviário bate o Sport nos pênaltis e consegue classificação histórica na Copa do Brasil

O Ferroviário conseguiu uma classificação histórica diante do Sport, na noite desta quinta-feira, 15, na Ilha do Retiro, em Recife. O Tubarão estava perdendo por 3 a 0 até os 30 minutos do 2º tempo, quando deu início à reação até o empate. A partida precisou ser decidida nas penalidades, com o time coral batendo os pernambucanos por 4 a 3 e avançando para a 3ª fase da Copa do Brasil. O feito garante ao clube da Barra do Ceará mais R$ 1,4 milhão de cota na competição.

Os torcedores presentes na Ilha do Retiro presenciaram uma retomada que vai ficar marcada na história do Ferroviário. A equipe foi presenteada pela entrega máxima dentro de campo, não deixando de desistir de um jogo que já parecia perdido.


A reação do Ferroviário passa pelo técnico Ademir Fonseca, que obrigou o time a se impor diante do Sport, clube que integra a elite do futebol brasileiro. Dentro de campo, o Tubarão, que voltou a disputar a Copa do Brasil após 14 anos de ausência e jogará a Série D 2018, foi buscar o placar com uma partida inspirada de Valdeci, que saiu do banco para servir os companheiros e marcar o terceiro do Ferrão.

O mesmo Mazinho voltou a balançar as redes aos 37 minutos. E, aos 41 minutos, o incansável Valdeci empatou o jogo. Nos pênaltis, o goleiro Bruno Colaço brilhou e pegou duas cobranças, garantindo o Ferrão na próxima fase da Copa do Brasil.

O Tubarão da Barra enfrenta na terceira fase da Copa do Brasil o vencedor do duelo entre Vila Nova e Joinville, que se enfrentam na próxima quinta-feira, às 19h15min, em Goiânia.

O jogo

O Ferroviário começou a todo vapor. Nos 20 minutos iniciais, o time comandado por Ademir Fonseca conseguiu encurralar e pressionar o adversário em busca do gol. Valdo Bacabal, aos 11 minutos, teve a grande chance do Ferrão na primeira etapa, quando cabeceou livre dentro da área. Magrão salvou o Leão da Ilha.

Após o bom início do Ferroviário, o Sport se organizou e bloqueou as investidas dos cearenses, retomando o controle da partida. Os pernambucanos perderam o centroavante Leandro Pereira por lesão. O técnico Nelsinho Baptisa lançou a campo Rogério, deixando a equipe de Recife mais veloz e ofensiva.

E foi de Rogério o desvio na bola aérea que deixou Anselmo livre para abrir o placar. O Ferrão reagiu bem ao jogo e conseguiu equilibrar novamente o duelo. Mas não foi suficiente para transformar a reação em gol. O 1º tempo terminou com a vantagem simples para o Sport.

Na 2ª etapa, o Leão da Ilha voltou para matar o jogo. O Ferroviário apostou em mudanças ofensivas, colocando em campo Valdeci, meio-campista, no lugar do zagueiro Jean.

O Sport marcou o segundo gol aos 10 minutos com Fabrício, que cabeceou no canto após cruzamento de Capa. Os pernambucanos chegaram aos 26 minutos com Marlone.

Quando tudo parecia se encaminhar para uma vitória tranquila do Sport, o Ferroviário iniciou uma reação histórica. Ademir Fonseca fez mais duas alterações: lançou a campo Emerson Santos e Rodrigo Rodrigues, substituindo Amaral e Valdo Bacabal.

Aos 30 e 37 minutos do 2º tempo, Mazinho marcou para o Ferroviário, com assistências de Valdeci. O baixinho, que deixou o banco para incendiar o jogo, balançou as redes aos 41 minutos. Com o empate no fim, o Sport não teve mais tempo de reagir. O apito final, aos 48 minutos, decretou as penalidades.

Cobranças de pênalti: Sport 3 x 4 Ferroviário Janeudo (Ferroviário) - gol Thomás (Sport) - gol Valdeci (Ferroviário) - gol Léo Ortiz (Sport) - gol Rodrigo Rodrigues (Ferroviário) - gol Fabrício (Sport) - gol Mazinho (Ferroviário) - gol Rogério (Sport) - perdeu Mota (Ferroviári) - perdeu Marlone (Sport) - perdeu

FICHA TÉCNICA: Sport 3(3) x (4)3 Ferroviário Data: 15/02/2018 Local: Ilha do Retiro, em Recife. Árbitro: Rodrigo Batista Raposo (DF). Assistentes: Ciro Chaban Junqueira (DF) e Luciano Benevides de Sousa (DF). Gols: Anselmo (aos 8 do 1ºT), Fabrício (aos 10 do 2ºT), Marlone (aos 26 do 2ºT) e Mazinho (aos 31 e aos 37 do 2ºT). Valdeci (aos 41 do 2ºT). Cartão amarelo: Valdo Bacabal. Público: 3.238. Renda: 55.655,00

Sport: Magrão; Felipe Rodrigues (Neto Moura), Henríquez, Léo Ortiz e Capa; Anselmo, Fabrício, Gabriel (Índio), Marlone; Thomás; Leandro Pereira (Rogério). Técnico: Nelsinho Baptista.

Ferroviário: Bruno Colaço; Amaral, Jean (Valdeci), Túlio e Sávio; Erandir, Mazinho, Janeudo e Andrei; Valdo Bacabau (Rodrigo Rodrigues) e Mota. Técnico: Ademir Fonseca.

Fonte: O Povo



Compartilhar no G+