Gordura no fígado: laser infravermelho pode ajudar no tratamento

Associado a dieta equilibrada e prática de exercícios, o método tem potencial para combater a esteatose hepática não-alcoólica.

A esteatose hepática não-alcoólica, conhecida popularmente como gordura no fígado, acomete bastante gente no Brasil. Estima-se que 30% da nossa população conviva com o problema. Só que, por não dar sintomas claros, ele costuma demorar a ser descoberto. Um perigo: além de aumentar o risco de diabetes e doenças cardíacas, o quadro pode evoluir para uma cirrose ou um tumor.

Para combater o acúmulo de gordura no órgão, é crucial investir em hábitos saudáveis, como ter uma alimentação equilibrada e se dedicar a atividades físicas. Mas, agora, pesquisadores do Grupo de Óptica do Instituto de Física de São Carlos da Universidade de São Paulo (IFSC/USP) descobriram mais um aliado de peso: o laser infravermelho.

Segundo dados publicados no Jornal da USP, os cientistas recrutaram 20 homens obesos de 20 a 40 anos de idade. Durante dois meses, por três vezes na semana, todos os participantes fizeram uma hora de exercícios aeróbicos (a exemplo da corrida) e de resistência (musculação). Eles também receberam informações sobre nutrição equilibrada e a importância de evitar bebidas alcoólicas.

Fonte: SAÚDE ABRIL



Compartilhar no G+