Nem chuva nem frio espantam militância no acampamento Lula livre

Nesta segunda-feira (16), também participaram da saudação os líderes das bancadas do PT na Câmara dos Deputados, Paulo Pimenta (PT-RS), e do Senado, Lindberg Farias (PT-RJ).

Pimenta comemorou a ação do MTST que ocupou o tríplex do Guarujá que o juiz Sérgio Moro diz pertencer a Lula com o objetivo de desmascarar a farsa que foi o julgamento. Segundo o deputado, a intervenção escancara a hipocrisia de todo o processo e a condenação de Lula, culpado de ganhar um apartamento que não é seu e, sim, da construtora OAS.

Ele falou também dos frutos que o acampamento solidário e vigília permanente pela libertação de Lula que estão servindo de modelo para a instalação de outros campos de resistência. O acampamento de Curitiba está cada dia maior e já está ‘dando cria’, destacou o parlamentar gaúcho, usando uma expressão típica da Região Sul do Brasil.

“Os primeiros ‘filhos’ vieram de Fortaleza, no Ceará, e de Brasília, no Distrito Federal, que já estão com suas estruturas montadas. Outro está nascendo no Rio de Janeiro e até o fim de semana que vem vai ter acampamento permanente por Lula Livre espalhado por todo o país. Vai ter até protesto em inglês, francês e japonês”, contou Pimenta, referindo-se às mobilizações internacionais que estão cada dia mais forte.

Comissão parlamentar visitará Lula nesta terça

Lindberg Faria anunciou, durante sua fala, que nesta terça-feira (17) uma comissão de senadores realizará visita às instalações onde Lula é mantido como preso político, impedido de receber visitas de amigos.

“Iremos ver as condições em que o ex-presidente se encontra, por conta do que está acontecendo, do episódio do avião, onde um piloto disse para ‘jogar esse lixo [Lula] pela janela’, e do cidadão que provocou transtornos no primeiro dia do acampamento, ofendendo a [pré-candidata à presidência da República pelo PCdoB] Manuela d’Ávila e, após causar tumulto, entrou para a sede da PF aqui em Curitiba”, denunciou.

Quanto ao isolamento do presidente Lula, que na semana passada não pode receber uma comissão de nove governadores e três parlamentares, o senador considera um fato grave, uma afronta aos direitos humanos. Ao impedir a visita, uma juíza paranaense alegou em sua decisão que “o preso Luiz Inácio Lula da Silva não poderia gozar de privilégios na atual situação”. Isso é um desrespeito a Declaração Universal de Direitos Humanos. É uma afronta, diz Lindberg.

“O isolamento do ex-presidente é grave. Em 1979, em plena ditadura militar, o próprio Lula visitava presos políticos. O que está acontecendo com ele hoje é ilegal e está se tornando um fato político de quebra de braço entre os poderes Judiciário e Legislativo”, declarou o senador.

“Significa uma afronta e extrapola a competência e prerrogativa da Justiça. Mostra, ainda, que a Lava Jato cada vez mais age na ilegalidade e desrespeito à Constituição Federal. Ele contou, ainda, que semana passada foram aprovadas duas diligências para averiguar as condições do ex-presidente, no plenário do Senado: uma comissão externa e uma comissão de Direitos Humanos.

Paulo Pimenta disse que uma comissão externa de deputados de vários partidos foi aprovada e também acompanhará a agenda dos Senadores. A visita está prevista para acontecer no início da tarde e, conforme disseram os parlamentares, a juíza responsável pela proibição da comissão de políticos na semana passada, será comunicada pelo Poder Legislativo.

Caravanas

Ao longo da manhã chegaram novas caravanas para fortalecer a resistência do acampamento em Curitiba vindas do Vale do Jequitinhonha (MG), Florianópolis (SC) e do extremo oeste do estado catarinense.

Durante todo o dia de hoje acontecerão oficinas de dança, apresentações artísticas e culturais e atos políticos, além da presença de parlamentares que passarão o dia no acampamento reforçando as mobilizações.

Programação

15h30 – Gerson Bientinez – voz, violão e percussão 17h – Batucadada Resistência, com Lindbergh e Paulo Pimenta – Tragam seus instrumentos 18h - Sorteio do mosaico de Javier Guerrero, com imagem de Lula

Resistência interestadual

Além da capital do país, que montou seu acampamento nas imediações do Estádio Nilson Nelson depois de sofrer perseguição do governo do Distrito Federal, em Fortaleza, na Praça da Justiça, aproximadamente 400 militantes encontram-se acampados e só levantarão de lá quando o ex-presidente sair da sede da PF em Curitiba pela porta da frente.

Em ambos acampamentos permanente, o dia conta com programação cultural e artística, além de atos políticos pela liberdade de Lula.

Fonte: Portal Vermelho
Compartilhar no G+