Jogos aumentam incidência de infarto em torcedores: veja como se proteger

Resultado de imagem para TORCEDORES ANSIOSOS

Torcedores que sofrem com histórico de estresse ou problemas no coração devem seguir algumas dicas para evitar os riscos.

Você também é o tipo de pessoa que ama futebol, mas vive se estressando com o seu time? Pois é, em época de Copa do Mundo as emoções ficam à flor da pele e haja coração para enfrentar os gols, faltas e pênaltis. No entanto, toda essa excitação causada pelos jogos pode acabar afetando a saúde cardíaca dos torcedores.

Uma pesquisa desenvolvida pela Universidade de São Paulo (USP) de Ribeirão Preto descobriu que o índice de pacientes sofrerem um infarto é de 4% a 8% maior durante a Copa.

O estudo verificou a incidência de infarto de 1998 até 2010, ou seja, durante 4 copas do mundo. Para investigação, os pesquisadores observaram dados do DATASUS, o banco de dados do Sistema Único de Saúde (SUS), para analisar quantos infartos ocorreram durante esses anos.

Outro estudo realizado durante a Copa do Mundo na Alemanha, em 2006, mostrou que incidência de emergências cardíacas entre torcedores alemães durante as partidas da seleção daquele país cresceu mais de 2,6 vezes.

"Aparentemente, o mais importante para desencadear um evento ligado ao estresse não é o resultado de um jogo, vitória ou derrota, mas a intensa tensão e excitação experimentada durante um jogo dramático, por exemplo, um jogo com cobrança de pênaltis", escreveram os pesquisadores no The New England Journal of Medicine, onde o estudo foi publicado.

Um ataque cardíaco ocorre quando o fluxo de sangue que leva ao miocárdio (músculo cardíaco) é bloqueado por um tempo prolongado, de modo que parte do músculo cardíaco seja danificado ou morra.

Como se proteger?

Em 2014, um torcedor mineiro faleceu após um infarto durante a partida entre o Brasil e o Chile. Já em 2010, após a derrota do Brasil para a Holanda, notou-se um aumento de 28% dos atendimentos por infarto nos prontos-socorros.

De acordo com Pedro Gregorio Mekhitarian, da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, existem algumas dicas que podem ajudar você a proteger o coração nos jogos, são elas:

1. Vá ao cardiologista com regularidade: ter os exames em dia é importante para avaliar o risco cardíaco em decorrência do estresse. Ir ao médico regularmente para um check up permite que o especialista recomenda ações específicas para se proteger de eventos cardiovasculares durante situações de estresse.

2. Controle a pressão arterial e o colesterol: quem tem pressão e colesterol altos precisa seguir as recomendações do cardiologista e, se medicamentos forem prescritos, tomá-los com regularidade.

3. Pratique atividade física: o exercício físico é um excelente protetor de doenças cardíacas, mas só funciona se for feito com regularidade e moderação. Além disso, quem é sedentário deve consultar um médico antes de começar alguma modalidade esportiva.

4. Lembre-se que é apenas um jogo: é preciso separar as emoções, já que sofrer um gol faz parte do roteiro, assim como perder a partida. Respirar fundo e de forma pausada durante a partida pode ajudar a reduzir o estresse.

5. Não exagere na bebida alcoólica:o álcool em excesso é inimigo do coração. Além disso, energéticos também são nocivos e, quando em combinação com o álcool, podem ser perigosos. Evite.

Além disso, torcedores que já sofrem com o estresse dos jogos ou com maior risco de ataque cardíacos não devem assistir às partidas sozinho. Aos primeiros sinais, como dor no meio do peito e se espalhando para o braço, a pessoa deve acionar imediatamente o Samu, pelo telefone 192, ou o corpo de bombeiros, pelo 196.

Caso a pessoa esteja desacordada e irresponsiva e não tenha ninguém habilitado que saiba usar um desfibrilador automático externo, inicie os procedimentos de reanimação cardíaca enquanto a emergência não chega. Muitas pessoas deixam de atender pessoas em parada cardíaca pois não querem realizar respiração boca a boca, no entanto, desde 2010 a American Heart Association afirma que socorristas leigos não precisam realizar tal procedimento. Dessa forma, a reanimação cardíaca envolve apenas compressões no peito. Siga o passo a passo:

Com as mãos espalmadas e cruzadas, pressione o tórax exatamente no centro do peito, entre os dois mamilos

É preciso comprimir forte (5 centímetros de profundidade aproximadamente), rápido e deixar o tórax relaxar entre as compressões. A American Heart Association disponibiliza um vídeo mostrando que é possível sincronizar o intervalo das compressões com a música Stayin' Alive, da banda Bee Gees ou a Marcha Imperial do filme Guerra nas Estrelas (Star Wars).

Fonte: MINHA VIDA
Compartilhar no G+