Apesar da pressão do PDT, Camilo defende aliança com Eunício

Resultado de imagem para CAMILO EUNÍCIO

Citando diálogo, governador reafirmou interesse em firmar aliança eleitoral com Eunício Oliveira (MDB), contrariando Ciro Gomes e o próprio PT.

Contrariando as movimentações do PDT e de setores do PT, que tentam isolar o senador Eunício Oliveira (MDB), o governador Camilo Santana (PT) reafirmou ontem o interesse de firmar aliança com o emedebista para as eleições deste ano. Camilo enfrenta resistências dentro do próprio partido e também do principal aliado político, o ex-governador Ciro Gomes (PDT), na costura política com o presidente do Congresso Nacional.

“A gente tem dialogado com os partidos e não tenho dúvida que, de forma democrática, com muito diálogo, nós vamos encontrar os caminhos necessários para a construção dessa aliança ainda este ano”, defendeu o governador para O POVO, antes de ingressar na reunião do Monitoramento de Ações e Programas Prioritários (Mapp), realizada ontem no pavilhão de eventos da Residência Oficial.Segundo Camilo, as conversas com partidos da base, incluindo o PDT e o PT, foram retomadas após o encerramento do prazo legal para inaugurações de obras do Governo. Ele disse que essas tratativas devem continuar até o dia 5 de agosto, quando ocorre a convenção estadual do partido.

Apesar das divergências, o governador avalia como “muito boa” a relação com os Ferreira Gomes, mesmo após o episódio da última quinta-feira, 12, quando Ciro Gomes teceu críticas diretas a Eunício Oliveira, em evento do PDT em Fortaleza, citando o presidente do Senado como um dos “picaretas” que moveram ações judiciais contra ele.

Ciro também defendeu publicamente o nome de André Figueiredo (PDT) para a disputa do Senado, o que embaraçaria os planos de Eunício em alcançar votos com aliança firmada com o governador. Isso porque uma das vagas da chapa deve ser reservada ao ex-governador Cid Gomes (PDT).

Essa declaração provocou reações dentro do PT. O presidente estadual, deputado Moisés Braz, reivindicou uma das duas vagas para o partido em encontro com os pré-candidatos petistas na última segunda-feira, 16. O dirigente disse que não abriria mão da vaga, unindo-se à ala liderada pela deputada Luizianne Lins que cobra a manutenção da cadeira do PT Ceará no Senado.

Questionado sobre como anda a relação com o partido, Camilo disse, entre risos, que está “muito boa”. “Temos dialogado. Esse é meu estilo”, afirmou o governador.

METAS

Camilo Santana esteve reunido ontem com todo o corpo de secretários através do sistema Monitoramento de Ações e Projetos Prioritários (Mapp). O objetivo, segundo o governador, é avaliar as ações do Governo iniciadas no primeiro semestre e projetar investimentos .

Fonte: O POVO
Compartilhar no G+