Ferroviário vence nos pênaltis e está de volta à Série C

JOGADORES do Ferroviário comemoram, no campo, a conquista do acesso à Série C RANIERY SOARES/CORREIO DA PARAÍBA

Ferroviário perde por 1 a 0 no tempo regulamentar, mas bate o Campinense-PB nos pênaltis. Com o resultado, coral da barra volta à Série C do campeonato brasileiro após 13 anos de ausência.

Pode soltar o grito de comemoração engasgado por 23 anos sem conquistas, torcedor coral. Com sofrimento, jogo truncado, gramado ruim e muito futebol raiz, o Ferroviário garantiu o acesso para a Série C do Campeonato Brasileiro após bater, nos pênaltis, o Campinense pelas quartas de final da Série D, na noite de ontem, no estádio Amigão-PB.

O Ferrão volta a disputar a Terceirona após 13 anos de ausência. Na semifinal, o time enfrenta o São José, que eliminou o Linense nas quartas.

O Tubarão joga a partida de ida em casa e decide fora. As datas ainda não foram divulgadas. É o terceiro acesso do futebol cearense em menos de um ano.

Emoção não faltou dentro das quatro linhas. O coração do torcedor do Coral da Barra do Ceará foi testado ao nível máximo de tensão.

Após triunfar na partida de ida por 3 a 2, o Ferrão jogava pelo empate para se classificar.

Entretanto, o Tubarão não jogou bem e sofreu a derrota por 1 a 0 nos 90 minutos de bola rolando — levando o confronto para ser decidido nos pênaltis. O gol do Campinense foi marcado por Jorginho, de voleio, no início do 2º tempo.

Nos pênaltis, coube a Edson Cariús, protagonista da campanha do Tubarão e artilheiro da Série D com nove gols, acertar a última cobrança e colocar o time cearense na Terceirona. O duelo na marca do cal terminou de 5 a 4 para o Ferrão.

O acesso do Ferroviário coroa uma temporada de altos e baixos, que culminou em final feliz. Após fracassar no Cearense, fazer um vexame na Copa do Nordeste e conquistar uma campanha histórica na Copa do Brasil, uma nova eliminação tão perto do objetivo principal do ano deixaria no ar o sentimento de que o Tubarão acabaria “morrendo na praia” em 2018.

A Série D era a única — e última — forma de salvar a temporada de 2019. Uma eliminação deixava o Ferrão sem calendário nacional no próximo ano. Com os milhões arrecadados com a façanha na Copa do Brasil, o Coral obteve êxito no planejamento ao montar uma equipe qualificada para disputar o Brasileiro, com Cariús e Juninho Quixadá liderando o elenco. A dupla foi destaque na campanha do acesso.

Marcelo Vilar, o quarto treinador do Tubarão na temporada, chegou às vésperas do mata-mata e deu um novo fôlego ao time. Com o técnico no comando, o Ferrão passou pela fase decisiva com três vitórias, dois empates e uma única derrota.

Com o resultado, a Barra do Ceará está em festa. Agora e por todo o resto do ano.

TREINADOR

Marcelo Vilar conseguiu o 2º acesso da Série D para a C. Em 2013, o técnico conquistou o título da Série D com o Botafogo-PB.

Fonte: O POVO
Compartilhar no G+