FHC nega polêmica sobre uma possível aliança PSDB e PT

Resultado de imagem para FHC

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso rebateu a polêmica sobre uma possível aliança entre o PSDB e o PT, em eventual segundo turno, para derrotar o candidato do PSL ao Planalto, Jair Bolsonaro. FHC disse que a fala foi "uma má colocação" e que o candidato tucano, Geraldo Alckmin, vai para o segundo turno.

"Ali (na entrevista) foi uma má colocação. Porque a pergunta foi que havia uma pré-disposição a apoiar e eu disse que o Geraldo vai para o segundo turno. Claro que se aceita qualquer colaboração, qualquer apoio. E aí transformaram... Porque o momento do Brasil é de ódio e eu não gosto disso", disse, ontem.

Em entrevista recente, FHC disse que não descartaria uma eventual aliança entre PT e PSDB no segundo turno para derrotar Jair Bolsonaro. A fala levou Alckmin às redes sociais para dizer que não haverá aliança alguma com o PT e que o compromisso dele era com os brasileiros.

Segundo FHC, a polêmica sobre sua frase "está no Brasil, não em mim". "Eu sou ao contrário. Eu debato. Não sinto ódio", disse. Ainda sobre os atuais conflitos eleitorais, FHC acrescentou: "Eu acho que não é preciso transformar os adversários em inimigos. Eu nunca fiz isso".

Propaganda

Alckmin, por sua vez, afirmou que a campanha começa agora, com o início da propaganda eleitoral gratuita na televisão, no próximo dia 31. "Com a propaganda na TV aumenta o interesse pela eleição. É agora que está começando efetivamente a campanha eleitoral".

Com forte coligação, Alckmin terá cerca de 50% do tempo de propaganda gratuita na TV. "O Brasil é um país continental. É uma grande oportunidade da gente levar nossas propostas".

O candidato também destacou sua viagem ao Sul em que passará pelas cidades gaúchas de Pelotas e Porto Alegre.

Fonte: DIÁRIO DO NORDESTE
Compartilhar no G+