Fuzis que 'furam blindado' são apreendidos pela 1ª vez no Ceará

DRF apreendeu dois fuzis e munições calibre.50 em Morada Nova e prendeu três suspeitos.  (Foto: Reprodução/TVM)

Quadrilha envolvida em pelo menos três ataques a carros-fortes foi presa.
Polícia Civil do Ceará capturou uma organização criminosa envolvida em ataques a bancos e carros-fortes e apreendeu uma pistola importada e dois fuzis calibre ponto 50, arma de guerra com alto poder de destruição. Além do armamento, a polícia localizou explosivos e mais de 100 cápsulas de fuzis que seriam utilizadas em ataques a instituições financeiras.

Os homens foram presos durante uma operação da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) na última semana, na cidade de Aracati, litoral leste do estado. Já as armas de fogo, foram localizadas em uma fazenda em Morada Nova. Segundo a polícia, o local era utilizado como base para a quadrilha.

De acordo com o secretário da Segurança Pública do Estado, delegado André Costa, essa foi a primeira apreensão de um fuzil ponto 50 no Ceará. "Com a apreensão desse aparato de fuzis, certamente a gente evitou novas ações contra bancos e carros-fortes", afirmou.

No total, a polícia apreendeu:

Dois fuzis .50;

Uma pistola calibre 40;

40 emulsões de explosivos;

Coletes à prova de balas;

Duas caminhonetes;

Documentos falsificados;

Mais de 100 munições.

O delegado Ricardo Romagnoli, titular da DRF, afirmou que a quadrilha era investigada há cinco meses. Os homens são suspeitos de comandar diversos ataques a instituições de financeiras e veículos de valores no Ceará e em outros estados da região Nordeste, segundo o investigador.

Romagnoli disse que há indícios de que o grupo tenha roubado três carros-fortes neste ano nas cidade de Aracati, São Luís do Curú e Mombaça. Nos três casos, a polícia encontrou cápsulas deflagradas da mesma arma que foi apreendida durante a operação da DRF.

'Fuzil fura blindados'

O delegado comentou que o fuzil apreendido é de elevado poder de destruição, capaz de quebrar paredes de concreto e até furar carros blindados, como os que são usados em transporte de valores. Os tiros disparados pelo armamento atingem alvos a cerca de dois quilômetros de distância, segundo o delegado.

"É uma apreensão inédita no estado, uma arma muito difícil de ser encontrada no país. É uma arma que atinge o alvo com precisão em cerca de dois quilômetros de distância. É uma arma de alto poder destrutivo, muito cara, considerada de alto valor econômico. Por isso, foi uma apreensão muito importante", destacou.

Confronto com criminosos

Um dos presos na operação tinha um mandado de prisão em aberto pelos crimes de sequestro e associação criminosa. Ele também já era investigado por roubo em outros estados. Após serem presos, a Polícia Civil continuou com rondas na região e localizou a fazenda onde o restante do grupo criminoso se escondia.

Ao chegar no local, os policiais foram recebidos a tiros. Os agentes revidaram, mas os outros bandidos da quadrilha conseguiram fugir. As armas de fogo foram encontradas escondidas na fazenda.

A Delegacia de Roubos e Furtos segue investigando para tentar prender os outros envolvidos na organização criminosa, além de identificar todos os ataques comandados pelo grupo.

"Temos informações que essa quadrilha possa ter utilizado esse armamento. Estamos em contato com a delegacia da Polícia Civil da Paraíba, Piauí e Rio Grande do Norte porque houve diversos ataques a carros-forte nestes estados".

Fonte: G1
Compartilhar no G+