Bolsonaro e Haddad estão isolados na corrida presidencial

Resultado de imagem para BOLSONARO E HADDAD

datafolha | Sondagem mostra Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) isolados na corrida eleitoral, com 28% e 22%, respectivamente. Ciro (PDT) tem 11% e Alckmin (PSDB), 10%.

Nova rodada do Datafolha mostra quadro equilibrado na disputa presidencial entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT). Na pesquisa, o capitão da reserva mantém-se com 28% das intenções de voto em relação à sondagem anterior, enquanto o petista cresce seis pontos e chega a 22%.

A nove dias das eleições, Bolsonaro e Haddad estão isolados na corrida ao Planalto. Ciro Gomes (PDT) oscilou dois pontos para baixo, indo a 11%.

O tucano Geraldo Alckmin movimentou-se positivamente, passando a 10% e deixando a casa de um dígito pela primeira vez na campanha.

Candidata da Rede, Marina Silva continua em queda. A ex-ministra decresceu dois pontos, caindo de 7% para 5%. Em seguida vêm João Amoêdo (Novo), com 3%, à frente de Alvaro Dias (Podemos) e Henrique Meirelles, do MDB, ambos com 2%.

Vera Lucia (PSTU), Guilherme Boulos (Psol) e Cabo Daciolo (Patriota) têm 1% cada. Brancos e nulos somam 10%. Não sabem ou não responderam são 5%.

De quarta-feira, 26, até ontem, o Datafolha entrevistou 9 mil eleitores em 343 cidades. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos. A pesquisa foi contratada pelo jornal Folha de S. Paulo e TV Globo.

O levantamento também projetou cenários de segundo turno. Neles, Bolsonaro é derrotado por todos os adversários e empata com Marina. Contra Ciro, o militar perde de 38% a 48%. Se o oponente é Alckmin, o nome do PSL chega a 38% contra 45% do ex-governador de São Paulo.

Com Haddad na briga, Bolsonaro vai a 39% ante 45% do petista. No último levantamento, divulgado na quinta da semana passada, dia 20, esse enfrentamento resultava em empate técnico: 41% a 41%.

O melhor desempenho do capitão da reserva nessa etapa da disputa é contra Marina: 42% a 41% da candidata, hipótese que configura empate técnico.

Os votos das mulheres e os do Nordeste alavancaram o desempenho de Haddad, que substituiu o ex-presidente Lula, preso em Curitiba, na chapa presidencial no dia 11 deste mês.

Entre estados nordestinos, o ex-prefeito de São Paulo saltou 12 pontos, chegando a 38%. Em segundo lugar na região aparece Bolsonaro, com 16%, em situação de igualdade com Ciro, que tem 15%.

No segmento feminino, Haddad melhorou seis pontos, conquistando 22%. Bolsonaro permaneceu com 21%. Até então, o militar sempre havia apresentado crescimento nessa faixa desde o início da série.

O deputado federal é alvo de intensa campanha de mulheres. Segundo o Datafolha, 52% delas rejeitam o candidato, contra 26% de rejeição a Haddad nesse mesmo universo do eleitorado brasileiro. No conjunto de votantes, as mulheres correspondem a 52%.

Considerando-se todos os pesquisados, a rejeição ao parlamentar fluminense foi de 43% para 46% em menos de uma semana. A de Haddad também sofreu incremento: de 29% para 32% nesse período.

O instituto mensurou ainda o grau de convicção dos eleitores de cada postulante. Os níveis mais elevados de adesão pertencem a Bolsonaro e Haddad: 79% e 78%, respectivamente.

Fonte: O POVO
Compartilhar no G+