Morre a cantora Ângela Maria


Ela estava internada há 37 dias em Hospital por conta de uma infecção. Velório será hoje, no Cemitério Congonhas, em São Paulo.

Faleceu na noite deste sábado, 29, a cantora Ângela Maria. A “rainha do rádio”, estava internada no Hospital Sancta Maggiore, em São Paulo. Quem anunciou o seu falecimento foi Daniel D’Angelo, marido de Ângela, nas redes sociais.

"É com meu coração partido que eu comunico a vocês que a minha Abelim Maria da Cunha, e a nossa Angela Maria, partiu, foi morar com Jesus", disse Daniel no vídeo.

Segundo Daniel, a cantora estava internada há 37 dias no Hospital por conta de uma grave infecção. O corpo de Ângela será velada e sepultada no Cemitério Congonhas, na capital Paulista.

Rainha do rádio

Ângela Maria, nome artístico de Abelim Maria da Cunha, nasceu em 13 de maio de 1929 em Macaé, no distrito Conceição de Macabu, localizado no Rio de Janeiro. Filha de uma dona de casa e de um pastor evangélico, foi no coral da igreja que Ângela deu seus primeiros passos em direção à carreira musical. Na juventude, chegou a trabalhar em uma fábrica de lâmpadas e em uma indústria de tecidos.

Como sonhava em cantar no rádio, adotou o nome artístico para participar dos programas de calouros e não ser reconhecida pelos familiares, que desaprovavam suas aspirações artísticas.

Devido à sua intensa atuação no rádio na década de 1950, foi coroada "Rainha do Rádio" em 1954 através de um concurso popular. No mesmo ano, estreou no cinema com o filme Rua Sem Sol, de Alex Viany.

Apelidada ‘Sapoti’ pelo ex-presidente Getúlio Vargas, Ângela foi considerada a cantora mais popular do Brasil na década de 1950 e serviu de inspiração para intérpretes como Elis Regina. Com 120 discos, é reconhecida pelo Guinness Book como recordista mundial de gravações. Na década de 1960, um de seus grandes sucessos foi a canção Gente Humilde, composição de Garoto, Vinícius de Moraes e Chico Buarque.

Fonte: CNEWS
Compartilhar no G+