Cid Gomes: "Para o Brasil, o menos ruim é o Haddad"


Senador eleito reafirmou apoio e pediu que o partido faça uma auto-crítica.

Após criticar o Partido dos Trabalhadores (PT), o senador eleito Cid Gomes (PDT) voltou a falar sobre o apoio ao presidenciável Fernando Haddad (PT), a quem classificou como "infinitamente melhor que o Bolsonaro". Apesar disto, o ex-governador do Ceará voltou a pedir que o PT faça uma auto-crítica.

"Eu não quero me vingar de ninguém. Para o Brasil, o menos ruim é o Haddad. Por isso penso que seria melhor que ele ganhasse", escreveu. Cid ponderou que o maior empecilho do partido é que "a maioria do povo brasileiro quer virar duas páginas do nosso passado recente", em alusão à polarização entre PT e PSDB.

"Creio que a única forma de ajudar a evitar que essa ânsia popular de negação coloque o País numa aventura obscurantista seria uma profunda autocrítica da companheirada seguida de um encarecido e sincero pedido de desculpas; Na sequência, uma palavra firme do Haddad de que governará suprapartidariamente", completou.

O governador Camilo Santana negou, em entrevista a um jornal local, que a fala de Cid Gomes tenha criado uma crise entre o PDT e o PT, que estão juntos no segundo turno.

Em entrevista à Jovem Pan, o candidato Fernando Haddad comentou o episódio. "Eu sei que não é comigo o problema", disse o presidenciável, que lembrou ser amigo da família Ferreira Gomes. "Entendo essas arestas que têm que ser aparadas, mas meu respeito por eles continua o mesmo. Meu desejo de que eles participem da campanha continua o mesmo. Vamos seguir a vida", disse o petista.

Fonte: CNEWS
Compartilhar no G+