Flamengo prepara oferta por Renato; Grêmio apela para lado sentimental

Renato Gaúcho é cobiçado pelo Flamengo

A nova tentativa do Flamengo em ter Renato Gaúcho no comando da equipe vai sair do papel novamente. Aproveitando a presença do treinador no Rio nos próximos dias, após o duelo com o Grêmio, no Maracanã, a diretoria rubro-negra, encabeçada pelo vice de futebol Ricardo Lomba, candidato a presidente, entregará uma proposta financeira de três anos de contrato a Renato e a seu empresário, Gerson Oldemburg, entre esta quinta e sexta-feira.

O técnico também é alvo do grupo de oposição liderado por Rodolfo Landim, que tinha conversas com Abel Braga nos últimos meses, mas vê em Renato Gaúcho uma possibilidade atrativa. O treinador já recebeu uma oferta do Grêmio para renovar o seu vínculo até o fim de 2019, ano em que o presidente Romildo Bolzan termina seu mandato no clube.

O lado sentimental pesa, além de uma valorização financeira, que o Flamengo se vê capaz de cobrir. Além disso, o clube está garantido na fase de grupos da Copa Libertadores de 2019.

- Qualquer jogador e qualquer treinador sonha em trabalhar no Flamengo. A preferência sempre foi do Grêmio. São dois grandes clubes, duas grandes torcidas, brigam pelos principais campeonatos. Treinar o Flamengo era um sonho, treinar o Grêmio também. Estou ainda no Grêmio. Mas tenho um sonho de treinar o Flamengo e sei que esse dia vai chegar- disse Renato após a derrota para o Flamengo no Maracanã.

Tudo passará, mais uma vez, pelo desejo de Renato. E pelas definições políticas no Flamengo, que só serão possíveis a partir do dia oito de dezembro, data da eleição. Se a resposta for positiva, as negociações vão se arrastar pelas próximas duas semanas. Nelas, situação e oposição estão em momentos distintos. Por estar no clube, Lomba já havia se aproximado de um acerto com Renato Gaúcho em abril, quando da demissão de Carpegianni.

Na ocasião, o presidente do Grêmio conseguiu convencer o técnico a permanecer por mais uma temporada, mesmo sem aumento salarial substancial que cobrisse a oferta rubro-negra. Segundo interlocutores de Lomba, no último contato havia ficado sinalizado que o acordo poderia se concretizar ao fim da temporada, nas mesmas bases financeiras, mas com tempo de contrato maior.

Do lado do candidato Rodolfo Landim, a sinalização de Renato Gaúcho nas últimas entrevistas como técnico do Grêmio foram de que ele estaria disposto a ouvir ofertas de outros clubes, inclusive do Flamengo, mas que isso acabaria por lhe valorizar em mais uma renovação. Desta forma, Renato é considerado um bom nome e a chapa de Landim admite que analisa as opções do mercado, mas diz que não vai fazer propostas a profissionais, sobretudo empregados, sem saber as condições do clube e se de fato vai assumí-lo a partir do ano que vem.

O início das negociações não depende mais da campanha do Flamengo no Campeonato Brasileiro, uma vez que o nome de Dorival Júnior é considerado fora do baralho para a próxima temporada pelos dois principais candidatos. Embora tenha boa avaliação interna, apenas a conquista do título o colocaria de novo na disputa com chance de permanência. O atual treinador tem noção do contexto político que envolve a sua situação e trabalha para finalizar a temporada com dignidade e a presença garantida na Libertadores de 2019.

A presença na competição sul-americana também é um fator levado em consideração para que Renato Gaúcho decida seu destino. O técnico tem dito que o foco no momento é manter o Grêmio no G-4 para se classificar diretamente para o torneio. O Flamengo, já garantido na primeira fase, ainda mira a mesma fase de grupos para dar andamento ao planejamento do próximo ano. Os planos incluem a reformulação do elenco e a contratação de jogadores que precisam de aval do próximo treinador. Por isso, há necessidade de um acordo prévio com Renato.

Fonte: Extra
Compartilhar no G+