Homem morre após esperar mais de 24h por socorro médico


Familiares afirmam que solicitaram ambulância, mas veículo não atendeu paciente.

Parentes de Erivaldo Soares Barbosa, de 48 anos, denunciam negligência no atendimento que deveria ter sido prestado a ele. O homem tinha problemas mentais e passou mal em casa, quinta-feira (01), no bairro Parque Santa Rosa, em Fortaleza. Por isso, a família acionou uma ambulância que nunca chegou e Erivaldo acabou morrendo na sexta-feira (02).

Familiares relataram que a primeira ligação para o socorro médico foi feita por volta das 10h desta quinta-feira (01). Do outro lado da linha, uma pessoa informou que existia apenas uma ambulância para toda a capital que estava atendendo pacientes com problemas mentais.

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) confirmou que somente um veículo fazia, exclusivamente, atendimento psiquiátrico. No total, 15 atendiam a demanda da capital na quinta-feira (01). Ainda segundo a SMS, o caso de Erivaldo Barbosa foi registrado no sistema e classificado como de baixa gravidade de risco. A sequência da demanda do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência é organizada de acordo com a classificação da chamada e da urgência de atendimento.

Fonte: CNEWS
Compartilhar no G+