Gleisi vai a Venezuela representar o PT na posse de Maduro nesta quinta

Roberto Casimiro/Fotoarena/Estadão Conteúdo

A presidente do Partido dos Trabalhadores, deputada federal eleita Gleisi Hoffmann, anunciou que estará presente na posse do presidente venezuelano Nicolás Maduro nesta quinta-feira (10) em Caracas.

O mandato é questionado por boa parte da comunidade internacional - incluindo o governo atual brasileiro que, junto de mais 12 países da região, firmaram um documento em que pedem que Maduro não assuma o mandato.

"O Partido dos Trabalhadores (PT) rechaça o intervencionismo e a posição agressiva do atual governo brasileiro contra o país", diz uma nota publicada no site do partido na tarde da quarta-feira e assinada por Gleisi. A nota postula vários argumentos para o comparecimento da presidente do partido na posse de Maduro, tal como a discordância do PT em relação às sanções impostas à Venezuela por parte dos Estados Unidos.

"Para deixar claro que não concordamos com a política intervencionista e golpista incentivada pelos Estados Unidos, com a adesão do atual governo brasileiro e outros governos reacionários. Bloqueios, sanções e manobras de sabotagem ferem o direito internacional, levando o povo venezuelano a sofrimentos brutais.", diz um dos tópicos do texto explicando o porquê da presença do PT na posse.

O partido ainda reitera que reconhece a eleição de Maduro por meio do voto popular. O pleito foi contestado pela comunidade internacional, pela oposição venezuelana e por parte da população do país, que não veem legitimidade na reeleição de Maduro.

Além de Hoffmann, chefes de Estado e representantes de países estarão presentes na posse do presidente venezuelano. Entre eles o mandatário boliviano, Evo Morales, que também compareceu à posse do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Além de Morales, Miguel Díaz-Canel, presidente de Cuba, e Daniel Ortega, presidente da Nicarágua, estarão na posse. O ministro da Agricultura da China, Han Changfu, e o vice-presidente da Turquia, Fuat Oktay, representarão seus países.

Fonte: UOL
Compartilhar no G+