Ipu (CE): Semana de Prevenção à Gravidez na Adolescência é realizada pela 1ª vez


Obedecendo a uma lei sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro que estabelece a Semana de Prevenção à Gravidez na Adolescência.

Várias ações foram realizadas de forma intersetorial entre a secretaria de saúde (PSF,s) e se de educação (escolas). Sessões educativas abordando as Infestações Sexualmente Transmissíveis (IST,s) e gravidez na adolescência foram a temática da vez.

Escolas receptivas, alunos atentos, educadores interagindo e profissionais de saúde dedicados a explorarem essa importante temática foi o que se viu nas ações realizadas entre 18 a 28 de fevereiro, dias que antecederam o carnaval. 


Entenda a notícia

O presidente Jair Bolsonaro sancionou a Lei nº 13.798, que acrescenta ao Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei 8.069/1990) artigo instituindo a data de 1º de fevereiro para início da Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência. A decisão foi publicada na edição do dia (04/03) do Diário Oficial da União.

O Estatuto da Criança e do Adolescente define como criança quem tem até 12 anos incompletos e como adolescente, quem tem idade entre 12 e 18 anos.

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgados em fevereiro do ano passado revelam que, na América Latina e no Caribe, a taxa de gravidez entre adolescentes é a segunda mais alta do mundo, superada apenas pela média da África Subsaariana. Na América Latina e no Caribe, ocorrem anualmente, em média, 66,5 nascimentos para cada 1 mil meninas com idade entre 15 e 19 anos, enquanto o índice mundial é de 46 nascimentos entre cada 1 mil meninas.

Levantamento do Ministério da Saúde fechado em 2017 informa que, somente em 2015, foram 546.529 os nascidos vivos de mães com idade entre 10 e 19 anos. A taxa apresentou, em 11 anos, queda de 17% no Brasil, conforme a base do Sistema de Informação sobre Nascidos Vivos (Sinasc), já que, em 2004, foram registrados 661.290 nascimentos.

Naquele ano, o número de crianças nascidas de mães adolescentes nessa faixa etária representou 18% dos 3 milhões de nascidos vivos no país. O balanço do ministério mostra que a região com maior prevalência de gravidez precoce, em 2015, foi o Nordeste (180.072 – 32%), seguida pelo Sudeste (179.213 – 32%). A oficialização da data, que será celebrada anualmente, foi proposta em 2010 pela então senadora Marisa Serrano (PSDB-MS).

Segundo a lei, nesse período, atividades de cunho preventivo e educativo deverão ser desenvolvidas conjuntamente pelo poder público e por organizações da sociedade civil.

Semana de Prevenção à Gravidez na Adolescência em Ipu

Fonte: 
Asarias Araújo (Gerente das UBS's)

VIA IPU NOTÍCIAS



Compartilhar no G+