Veja como se proteger de raios e descargas elétricas


Mais de 5.550 raios já atingiram o solo cearense este ano.

As fortes chuvas no Ceará tem provocado a incidência de raios em todo o Estado. As precipitações se formam a partir de nuvens carregadas. Um perigo que pode ser fatal. Só neste ano, quatro mortes foram registradas por conta do fenômeno natural. De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, mais de 5.550 raios já atingiram o solo cearense em 2019. A frequência, não apenas no litoral, é uma consequência das fortes chuvas.

O alerta é para que a população se proteja em local seguro, ao menor sinal de raios e trovões. Se estiver na rua, o ideal é se abrigar em um prédio ou dentro de um carro. O Corpo de Bombeiros orienta que as pessoas evitem lugares descampados, praia e piscina.

Este ano, o primeiro caso registrado aconteceu em Santana do Acaraú, 228 km de Fortaleza. Um agricultor foi atingido por uma descarga elétrica dentro de casa. Segundo familiares, chovia muito na hora do acidente. Outro caso aconteceu em Pindoretama, Região Metropolitana de Fortaleza. O homem trafegava pela CE-040, quando foi atingido pela descarga elétrica.

Em São Gonçalo do Amarante, Região Metropolitana de Fortaleza, um pescador morreu depois de ser atingido na localidade de Siupé. O caso mais recente aconteceu nesta quarta-feira (27), quando dois surfistas foram atingidos na Praia da Leste Oeste, enquanto surfavam ao mar. Uma mulher não resistiu e morreu.

Cuidados dentro de casa durante tempestade:

· Evitar o uso do celular, secador de cabelo e ferro elétrico conectados à tomada; · Evitar uso de chuveiro ou torneira elétrica; · Evitar consertos de instalações elétricas; · Se possível, permanecer dentro de casa enquanto a tempestade durar. Cuidados fora de casa durante tempestade: · Evitar contato com objetos metálicos, como cercas de arame, tubos metálicos e principalmente linhas telefônicas ou elétricas;

· Evitar estar em locais como campos abertos, piscinas, lagos, praias, árvores isoladas, postes e locais elevados.



Fonte: CNEWS
Compartilhar no G+