Fortaleza tem redução de 59,6% no número de assassinatos nos três primeiros meses do ano

André Costa diz que contratações de psicólogos foram autorizadas em janeiro, mas ainda não ocorreram

O resultado é comparado com o mesmo período do ano passado.

O primeiro trimestre de 2019 terminou com redução de 59,6% no total de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) em Fortaleza, quando comparado ao mesmo período do ano passado. Levando em conta apenas o mês de março, a diminuição chegou a 51,9% - passando de 133 para 64 casos na Cidade. A Capital chegou, assim, ao 13º mês de queda no total de homicídios.

Os CVLIs são os homicídios dolosos, lesões corporais seguidas de morte e roubos seguido de morte (latrocínio).

O secretário da Segurança Pública do Ceará, André Costa, afirmou que "quase a totalidade" dos homicídios é causado pela rivalidade dos grupos criminosos. "A gente continua infelizmente com esse clima de disputa entre eles", considerou.

Costa ainda atribuiu a diminuição da violência a um trabalho de integração, com participação das prefeituras. "Temos diversos fatores que influenciam na violência e boa parte deles está a cargo das prefeituras. Algumas áreas estão muito degradadas, é preciso melhorar a urbanização e a conservação pública", acrescentou.

As informações foram divulgadas em entrevista coletiva, na manhã desta quarta-feira, 10, pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

Dados do Ceará

As estatísticas indicam que, no Ceará, o número também teve redução: 56,6% em relação aos três primeiros meses do ano e 54,3% em relação ao mês de março, na comparação com 2018.

A Região Metropolitana de Fortaleza registrou a maior redução do primeiro trimestre entre as regiões, de 60,1%.

Roubos e Furtos

Em Fortaleza, os Crimes Violentos contra o Patrimônio 1 (CVPs 1), que incluem roubos à pessoa e de documentos, tiveram redução de 25,4% no primeiro trimestre de 2019. No Estado, caiu 24,8%.

Já em relação a crimes que envolvem roubos à residência, de veículos, de carga e com restrição da liberdade da vítima (CVPs 2), houve uma queda de 49,4% no Estado.

Considerando apenas a Capital, o resultado chegou a 59,1% de diminuição.

Fonte: O POVO
Compartilhar no G+