Ipu (CE): Sec. de saúde realiza ações no Dia Nacional de Combate à Hipertensão Arterial

Bons hábitos contribuem para a Prevenção e Controle da Hipertensão Arterial.

No dia 26 de abril é comemorado o Dia Nacional de Combate à Hipertensão Arterial, uma doença silenciosa que atinge uma em quatro pessoas adultas no Brasil. A hipertensão é responsável por 40% dos infartos, 80% dos derrames e 25% dos casos de insuficiência renal terminal, segundo a Sociedade Brasileira de Hipertensão. Diante das graves consequências da pressão alta, o Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes, referência no tratamento de doenças cardíacas graves, faz um alerta para a prevenção e o controle da doença.





Caracterizada pela elevação da pressão do sangue nas artérias, a hipertensão é uma doença crônica assintomática. “A hipertensão arterial é na maioria das vezes, uma doença silenciosa, não dá sintomas e por isso é tão perigosa. Geralmente o paciente só apresenta sintomas quando está tendo um episódio de “crise hipertensiva”, aí pode ter dor de cabeça, náuseas, tontura e vômito”, explica o chefe do setor de cardiologia do Hospital de Messejana, Alexandre de Melo Karbage.

O cardiologista ressalta que a hipertensão arterial não tem cura, mas deve ser controlada para evitar complicações. “É fundamental fazer um acompanhamento médico regular, ter bons hábitos alimentares e praticar atividades físicas com frequência. Fazendo isso, o indivíduo controla a doença e diminui as chances de ter um infarto agudo do miocárdio, ou AVC, por exemplo”, enfatiza. No Ceará, os dados parciais de 2018 registram 15.288 óbitos por doenças do aparelho circulatório, sendo 4.369 vasculares cerebrais, 5.016 isquemias do coração (diminuição do oxigênio que chega ao coração) e 1.780 hipertensivas. Desse total, 4.290 foram vítimas de infarto agudo do miocárdio, que ocorre quando uma artéria coronária fica obstruída e deixa de levar oxigênio e nutrientes ao coração.

Hábitos saudáveis

Cerca de 25% da população brasileira adulta, chegando a mais de 50% na terceira idade e a 5% de crianças e adolescentes no Brasil, sofrem com a hipertensão, que não tem uma causa única, de acordo com a Sociedade Brasileira de Hipertensão. “As pessoas com excesso de peso, que não têm alimentação saudável, ingerem muito sal, não fazem atividades físicas, consomem muita bebida alcoólica, são diabéticas ou têm familiares hipertensos correm maior risco de serem hipertensas”, ressalta o cardiologista.

A única forma de saber se a pressão está alta é verificando-a regularmente, com aparelhos calibrados e profissionais preparados. Para a maioria da população, a pressão arterial deve estar até 130/080mmHg e até 150/090mmHg para os muito idosos.

Fonte: ASARIAS ARAÚJO - GERENTE GERAL DAS UBS
Compartilhar no G+