Itapipoca (CE): Muro de creche desaba e casas ficam alagadas após chuva

Uma creche da cidade ficou toda alagada — Foto: Reprodução/SVM

Moradores também relataram falta de energia e inundações nas ruas de toda a cidade por conta das precipitações.

Moradores do município de Itapipoca, no litoral oeste do Ceará, foram surpreendidos com a forte chuva que atingiu a cidade na noite desta quarta-feira (10). A força da água alagou ruas e casas em vários pontos e, segundo moradores, o muro de uma creche desabou. O Corpo de Bombeiros da região confirmou alagamentos em diversos bairros.

Segundo a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), entre as 7h da quarta e as 7h desta quinta-feira (11), as precipitações na cidade acumularam 86 mm, de acordo com os dados atualizados às 7h20.

"Itapipoca toda está toda alagada. Foi muito triste. Muita gente perdeu as coisas. Aqui em casa eu tive mais sorte, mas nas outras casas muita gente perdeu tudo", disse a moradora Mikaelly Araújo, do bairro Madalenas. Ainda de acordo com ela, o muro da Creche Francisca de Sousa Braga, localizada no bairro Madalenas desabou na noite desta quarta-feira (10), mas ninguém ficou ferido.

De acordo com a agente administrativo Erika Ferreira, a chuva começou por volta das 19h e a ponte do coqueiro transbordou, alagando a via. "Os móveis chegaram até a flutuar, a água chegou a ficar na cintura em um dos bairros aqui da cidade", relatou.

O estudante Iago Breno, morador do Bairro Sanharão, informou que chegou a faltar energia durante a chuva . "Depois de um raio, faltou energia em toda a cidade", disse.

Uma fábrica de calçados da cidade ficou alagada e foi um dos locais mais prejudicados, segundo os moradores. Os funcionários tentaram usar caixotes para evitar que as mercadorias e perdessem.

Ocorrências

De acordo com o sargento Ricardo, do Corpo de Bombeiros de Itapipoca, foram atendidas duas ocorrências de maior gravidade. As duas correspondiam a resgate de moradores que tiveram as casas inundadas. Em um dos casos, no Bairro Cohab, o nível da água dentro da residência chegou a alcançar cerca de 1 metro. Os moradores saíram dos locais e foram orientados a permanecer nas áreas mais altas.

Fonte: G1/CE
Compartilhar no G+