Cássio fala da busca por título inédito no Corinthians e quer bater o recorde do Ronaldo


Goleiro do Timão tem nove taças e 426 partidas com a camisa alvinegra.

Há espaços reservados na estante de títulos de Cássio para Copa do Brasil e Sul-Americana, dois torneios que não aparecem na galeria de nove conquistas do goleiro com a camisa do Corinthians.

A cinco passos de um título de Sul-Americana, já que o Timão encara o Fluminense nesta quinta-feira, às 21h30, em Itaquera, no primeiro jogo das quartas de final do torneio, o goleiro falou sobre as suas ambições no clube em que atua há sete temporadas e meia.

– É um confronto muito difícil com o Fluminense. Almejo ganhar Sul-Americana, assim como Brasileiro, e ano que vem quero brigar por Copa do Brasil que não ganhei ainda. Mas não é falando que se ganha, é trabalhando – disse o camisa 12, que não perde o sono pelo sonho:

– A gente não pode se cobrar, achar que tem que ser agora, todo ano tem campeonato. Quero ganhar, vencer todos, mas é jogo a jogo, temos que respeitar o Fluminense e fazer um grande jogo. É naturalmente, mas vamos lá, se fizermos tudo certinho, quem sabe não podemos chegar?

Cássio tem quatro títulos de Paulistão (2013, 2017, 2018 e 2019), dois brasileiros (2015 e 2017), uma Libertadores (2012), uma Recopa (2013) e um Mundial (2012). Com 426 partidas, ele é o segundo goleiro com mais jogos pelo clube, perdendo apenas para Ronaldo Giovanelli, com 602.

Terceiro goleiro da seleção brasileira na Copa do Mundo de 2018 e na conquista da Copa América no Brasil, o goleiro afirmou que não recebeu propostas de fora nesta janela. Aos 32 anos, ele diz que não consegue cravar que vai se aposentar no clube, mas já faz planos a longo prazo.

– Que eu saiba não chegou nenhuma proposta para mim. Jogador de futebol nunca sabe, não adianta falar que não vou sair, depois eu saio e sou mercenário. Mas estou há oito anos aqui, ganhando títulos. Me sinto feliz neste ambiente de trabalho, muito contente, não sei se vou ficar para sempre... Uma das minas metas é bater recordes no Corinthians, óbvio que quero bater o recorde do Ronaldo. Minha admiração por ele é enorme, não quero fazer comparações. Estou muito feliz no Corinthians, quero fazer o melhor a cada dia e não penso como será lá o futuro.

Veja mais trechos da entrevista do goleiro:

Fluminense sem Fernando Diniz

– Difícil falar, estão com um interino, não sabemos como eles vão vir, temos que nos preparar para tudo. Uma equipe mais retrancada ou que repita padrão. É muito recente, eles têm essa ideia do jogo desde o início do ano,. A gente tem que estar preparado. Fábio sempre prepara a equipe para todas as circunstâncias, temos que nos preocupar com nosso trabalho, manter nossa maneira.

Foco em qual torneio?

– Sul-Americana é mata-mata, não podemos apostar só nela. É uma reta final, um campeonato que a gente não tem, eu nunca ganhei, mas é passo a passo nos dois campeonatos. Pés no chão, ir evoluindo. Antes da Copa América, a gente tinha mudado muitos jogadores, hoje eles dominam a parte tática, têm entrosamento bom, às vezes entram uns que não têm tanta oportunidade e mantém o nível. No início do ano a gente almejava brigar por tudo, temos chance.

Jogar bem ou classificar?

– Principalmente em mata-mata. Jogar bem e ganhar é melhor, mas no mata-mata passar de fase é o objetivo. De repente, não faz grande partida, mas o que fica é passar de fase. No Paulista a gente foi criticado por não fazer grandes partidas, mas erguemos o campeonato e todo mundo saiu feliz. Estamos fazendo um bom campeonato, estamos entre as melhores defesas do Brasileirão, que é um mérito de toda equipe, um entendimento de todos, a gente vem evoluindo e sabe que pode crescer ainda mais. Vejo todos os companheiros com ambição de evoluir mais, ganhar mais.

Time experiente

– É importante, principalmente jogo de mata-mata, quando menos você errar, mais perto da classificação vai estar. Tem de ter atenção nos dois jogos. É importante, mas muitas vezes ganhamos com jogadores que não são experientes também. Um deles o Pedrinho, contra o Botafogo em 2017 ganhamos um jogo importante com uma jogada dele (no Brasileirão). Gosto desta mescla de jovens com experientes. É legal. O Fluminense está na zona do rebaixamento e trocou técnico, mas temos que estar atentos, eles vão querer dar resposta o mais rápido possível. Temos que conseguir um bom resultado em casa.

Fonte: Globo Esporte
Compartilhar no G+