Cearense Everton se irrita com Grêmio que não aceitou proposta da China de 45 milhões de euros

Contrato de Everton com Gilmar Veloz terminou em 24 de julho — Foto: Eduardo Moura

Atacante do Grêmio, que se irritou com negativa tricolor de procura da China, ouve empresários para buscar propostas de fora do país e se distancia de Gilmar Veloz, que o representava desde 2012.

Como pano de fundo da proposta da China do total de 45 milhões de euros que não interessou ao Grêmio, há um rompimento entre Everton e seu antigo agente Gilmar Veloz. O jogador não renovou a procuração que terminou recentemente com o empresário, criou mal-estar nos bastidores do clube gaúcho e gerou corrida entre agentes na tentativa de vender o atleta a um mês do fechamento das principais janelas europeias.

O Grêmio nega que tenha recebido qualquer oferta por Everton. O clube gaúcho tem antiga relação com Veloz, que detém 30% dos direitos econômicos do atleta. Foi o empresário quem ajudou o Grêmio com R$ 300 mil para comprá-lo junto ao Fortaleza em 2013. Apesar de não ter mais procuração do jogador, com quem trabalhava desde 2012, Veloz ainda tem prioridade para fazer a negociação nesta janela de negociações.

A notícia do fim da parceria de Everton com o agente correu o mercado. O jogador segue com Marcio Cruz, que trabalhava em parceria com Veloz desde a chegada do jogador de Fortaleza. Inclusive, o jogador comunicou ao Grêmio que seus interesses a partir de agora devem ser tratados com Marcio Cruz. O GloboEsporte.com tentou contato com Marcio, mas não conseguiu falar com o novo representante de Everton.

Antes do rompimento, era Veloz quem tratava com interessados no atleta - foi Veloz, que trabalha com o técnico da Seleção Tite e outros atletas, que conversou com Edu Gaspar, do Arsenal, e conduzia outras tratativas em potencial. Em contato com a reportagem, a assessoria de Veloz confirmou que não tem mais representação do atacante, mas tem prioridade no negócio.

Uma das aproximações recentes foi com a oferta apresentada pelo agente carioca Fabio Brito. Mas outros nomes no agitado mercado de representação de atletas também procuraram com o atacante. O lateral-direito Léo Moura, que não nega o desejo de se tornar empresário quando parar de jogar, está em constante contato com o companheiro Everton.

A prioridade do jogador do Grêmio sempre foi o mercado europeu. Mas a alta soma na proposta chinesa atraiu o jogador, que se incomodou muito com a recusa do Grêmio. Causando desgaste com a diretoria, que tenta contornar a situação. A oferta da China chegou quando Everton estava concentrado para enfrentar o CSA, de Alagoas.

Fonte: GLOBOESPORTE.COM
Compartilhar no G+