Crianças eram trancadas 24h como 'disciplina', no Ceará; Casal foi preso por estupro, tortura e negligência


Menina de dez anos teria sido abusada desde os oito; suspeitos são investigados ainda por estelionato.

Uma investigação sobre crimes de estelionato em Monsenhor Tabosa, no Sertão Central cearense, levou à prisão de um casal em Fortaleza, também suspeito de cometer outras infrações como tortura e estupro de vulnerável contra os próprios filhos e crime contra a pessoa idosa, em outros municípios brasileiros. A dupla foi detida na última sexta-feira (23), no Bairro Lagoa Redonda, na Capital.

Segundo a Polícia Civil, no momento da prisão, os dois foram encontrados com quatro crianças, sendo dois filhos do casal e outros dois apenas da mulher presa. As crianças eram comumente trancadas em um cômodo por 24 horas, como forma de "discipliná-las", conforme os suspeitos relataram à polícia. Além disso, uma das filhas, hoje com dez anos, era abusada desde os oito anos pelo suspeito preso.

A comunicação com a Polícia Civil do Paraná permitiu acesso ao caso de um quinto filho da envolvida, hoje com 15 anos. Aos 13, ele também foi torturado pelo casal quando a família morava no Rio de Janeiro. Desde então, ele pediu abrigo à avó, com quem mora atualmente no Paraná.

Além disso, a dupla também negligenciava os cuidados ao pai da mulher, um idoso de 79 anos. Eles recebiam os benefícios da vítima, mas não atendiam às necessidades de alimentação e cuidados básicos do aposentado.

Os policiais foram cumprir um mandado de prisão contra o casal e quando chegaram à residência, os agentes encontraram as crianças em condições de maus tratos.

"Nossas investigações prosseguem no sentido de colher mais elementos de autoria e materialidade a fim de comprovar os crimes de tortura praticados contra os menores, além do crime de estupro de vulnerável, também investigado", afirma o delegado Luiz Arthur, titular da Delegacia Municipal de Monsenhor Tabosa.

Estelionato

As investigações iniciaram em maio de 2019, em razão do crime de estelionato. O homem preso, de 32 anos, é natural de Carapicuíba, em São Paulo, enquanto a mulher, de 33 anos, é cearense, de Monsenhor Tabosa.

A dupla se aproveitava da naturalidade da suspeita para fazer compras sem realizar os pagamentos de móveis e eletrodomésticos. Pelos menos 19 comerciantes teriam sido enganados pelo casal.

Fonte: G1
Compartilhar no G+