Ipu (CE): PM que atirou em festa de formatura é ouvido no fórum da cidade


Na entrada no Fórum da cidade, familiares e amigos das vítimas feridas no tiroteio protestaram contra o PM aos gritos de "assassino, assassino".

A Justiça manteve a prisão preventiva do policial militar Jorgeandro Vieira, acusado de tentar matar a namorada e ferir quatro pessoas em uma festa de formatura no início de agosto em Ipu, na rgião da Serra da Ibiapaba.

A decisão aconteceu após uma audiência de custódia realizada na manhã desta segunda-feira (19), no fórum da cidade. Durante a chegada e a saída do militar, familiares e amigos protestaram contra ele.

O PM foi ouvido e a defesa solicitou que a prisão preventiva fosse revogada. Na alegação, a defesa disse que o cliente possui bons antecedentes e ensino superior, mas o pedido foi negado. O juiz Fábio Rodrigues Sousa, da vara única da Comarca de Ipu, entendeu que o acusado solto representa perigo para a sociedade.

Após a audiência, ele foi trazido de volta para Fortaleza, onde permanece preso no 5º Batalhão de Polícia Militar, no Bairro José Bonifácio.

Tiros na festa

O crime aconteceu na noite do dia 4 de agosto, quando o policial discutiu com a namorada, que era uma das convidadas de uma festa de formatura que acontecia na casa de uma amiga dela, em Ipu. Durante a discussão, ele realizou 15 disparos que atingiram quatro convidados.

Entre os feridos, estava uma adolescente de 17 anos, irmã da formanda, a mãe dela, Antônia Ildete Pereira Pontes, 42 anos, o pai, Antônio Sergio Vasconcelos Pontes, 48 anos, e um outro convidado.

Após ser contido no local, Jorgeandro foi detido e autuado por tentativa de homicídio, na Delegacia Regiona de Tianguá.


Com informações do Diário do Nordeste
Compartilhar no G+