Justiça decreta prisão preventiva a casal acusado de matar bebê de 1 ano e 10 meses, em Fortaleza


A mãe e o padrasto da menina chegaram a forjar o desaparecimento da criança e prestar depoimento falso à polícia.

O casal acusado de matar a bebê Maria Esther na terça-feira (20) teve prisão preventiva decretada nesta sexta-feira (23) e foram indiciados por homicídio qualificado. A mãe e o padrasto da menina teriam espancado a criança de um ano e dez meses até a morte, no Bairro Canindezinho, em Fortaleza.

A decisão foi feita pela juíza Flávia Setúbal, titular da Vara de Audiências de Custódia da Capital, que pontuou a brutalidade do crime cometido por Ana Cristina Farias Campelo e Franciel Lopes de Macedo. "A gravidade em concreto da conduta atribuída aos acusados é bastante elevada, diante da crueldade particular em que executaram o crime em apuração. A existência do delito e os indícios da autoria, decorrem das circunstâncias da prisão. Disse ainda que a prisão garantia a conveniência da instrução criminal".

Ana Cristina Farias Campelo e Franciel Lopes de Macedo foram presos na quarta-feira (21), sendo conduzidos à Delegacia de Capturas de Fortaleza (Decap). Na manhã desta sexta-feira, Ana Cristina foi transferida para o Instituto Penal Feminino Auri Moura Costa, em Aquiraz.

Depoimento falso

Na noite de terça (20), Ana Cristina relatou à polícia que estava com o padrasto e a criança numa bicicleta, quando foram abordados por um casal armado que exigiu que entregassem a menina. Ela chegou a pedir que a imagem da filha fosse divulgada para auxiliar nas buscas. O suposto roubo teria acontecido no Bairro Pajuçara, em Maracanaú, também na região metropolitana na capital.

Fonte: G1
Compartilhar no G+