Presidentes de Ceará, Fortaleza e Federação Cearense vão juntos à CBF reclamar do VAR


Na próxima quinta-feira (22), os dirigentes vão à sede da entidade para cobrar esclarecimentos sobre os lances que acreditam ter prejudicado os clubes.

Os presidentes de Ceará, Robinson de Castro, do Fortaleza, Marcelo Paz, e da Federação Cearense de Futebol (FCF), Mauro Carmélio, vão pessoalmente à sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) na quinta-feira (22) para reunião com dirigentes da entidade. O objetivo é reclamar sobre a atuação do VAR (árbitro de vídeo) em partidas dos clubes no Campeonato Brasileiro. Eles serão recebidos pelo presidente da CBF, Rogério Caboclo, e pelo presidente da Comissão de Arbitragem, Leonardo Gaciba.

- Desde o início da competição da Série A nós acompanhamos os erros e protestamos. Temos acompanhado, mostrando imagens e estamos discutindo sempre com a comissão nacional. Agora, nessa situação, entendemos, nós três, que devemos estar pessoalmente na CBF, e na quinta-feira estaremos lá. Eu, Marcelo Paz e Robinson de Castro, discutindo sobre a utilização do VAR e os prejuízos que está trazendo ao futebol cearense - afirma Mauro Carmélio.

Apesar das críticas dos cearenses, o presidente da Comissão Nacional de Arbitragem, Leonardo Gaciba apresentou, nesta segunda-feira, os números do árbitro de vídeo (VAR) no auditório da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Segundo o chefe dos árbitros, houve 98% de acerto dos lances nas decisões capitais (gols, expulsões, erros de identificação e pênaltis) com a ajuda do novo sistema até a 14ª rodada da Campeonato Brasileiro.

De acordo com Gaciba, sem o VAR, 77,4 % dos lances capitais foram acertados no mesmo período. O chefe da arbitragem informou que os árbitros erraram apenas em 10 lances capitais neste ano com a ajuda do vídeo contra 88 em 2018.

- Isso é uma melhora de 90%. Eu enxergo o copo meio cheio. O auxílio do VAR é indispensável hoje em dia. A reclamação dos clubes diminuiu muito. Os acertos da arbitragem brasileira crescem - disse Gaciba.

Os jogos do último fim de semana do Brasileiro não entraram no levantamento da entidade. E foi justamente neste fim de semana que Ceará e Fortaleza mais reclamaram. No caso do Fortaleza, o clube pede a marcação de falta em Roger Carvalho no lance que originou o gol do Inter, no Castelão.

A mais recente controvérsia rolou no confronto entre São Paulo e Ceará, no último domingo (18), no Estádio Morumbi. Após passe de Thiago Galhardo, Felippe Cardoso recebeu bola de cara para o gol, mas foi atropelado pelo goleiro Tiago Volpi antes da conclusão da jogada. O atacante foi ao chão, mas a arbitragem mandou seguir mesmo diante dos protestos do Vovô.

Fonte: Globo Esporte
Compartilhar no G+