Universitários instalam 'gabinete' em avenida de Fortaleza em novo protesto contra reitor da UFC


Manifestantes continuam ocupando a sede da reitoria da UFC e, afirmam que não irão permitir o acesso do reitor Cândido Albuquerque ao local.



Em mais um ato de protesto contra a escolha do novo reitor da Universidade Federal do Ceará (UFC), nomeado pelo presidente Jair Bolsonaro, estudantes instalaram nesta terça-feira (27) uma espécie de 'gabinete' no cruzamento da Avenida da Universidade com a 13 de Maio, no Benfica, em Fortaleza.

Os manifestantes instalaram um gabinete improvisado com uma faixa que diz 'interventor'. Os universitários seguem acampados no prédio da reitoria da instituição, impedindo o acesso de veículos e, afirmam que não irão permitir a entrada do reitor Cândido Albuquerque ao local.
O G1 procurou Cândido Albuquerque, mas não obteve resposta até a publicação desta reportagem. Em nota, a UFC informou que o novo reitor da universidade "tem defendido, em entrevistas, o diálogo com a comunidade universitária e o debate respeitoso e com tolerância". E ressaltou que "as manifestações sociais fazem parte da democracia".

O novo reitor foi o candidato com menor número de votos em uma consulta pública na universidade e o segundo colocado na lista tríplice realizada pelo Conselho Universitário (Consuni). Após a nomeação, os estudantes da UFC iniciaram os protestos. Segundo um dos participantes, o objetivo é continuar os atos até que eles tenham um encontro para diálogo.

Cronologia dos protestos:

Dia 19 de agosto: nomeação de Cândido Albuquerque é anunciada em edição extra do Diário Oficial da União. Dia 20 de agosto: estudantes bloqueiam o cruzamento entre as avenidas da Universidade e 13 de Maio, no Bairro Benfica, em Fortaleza, contra a escolha do novo reitor. Cândido diz que não foi "indicado para ser líder político". 22 de agosto: Cândido Albuquerque toma posse como novo reitor da UFC na sede do Ministério da Educação, em Brasília. 23 de agosto: manifestantes fecham acessos da reitoria da UFC em protesto contra a nomeação de novo reitor. Com reitoria bloqueada por alunos, transferência de cargo de novo reitor da UFC acontece em outro local. 26 de agosto: manifestantes voltaram a fechar os acessos à reitoria da UFC. A segurança no local foi reforçada, segundo a instituição.




Pedestres que passam por avenida estranham gabinete coloco na rua — Foto: José Leomar/SVM Pedestres que passam por avenida estranham gabinete coloco na rua — Foto: José Leomar/SVM Pedestres que passam por avenida estranham gabinete coloco na rua — Foto: José Leomar/SVM

Escolha do novo reitor

O Ministério da Educação informou ao G1 que a cada quatro anos as universidades federais promovem uma eleição para indicar três nomes que formam a lista tríplice. A relação é enviada para o Ministério da Educação e a palavra final é do presidente da República. Com isso, conforme o órgão, não há hierarquia na lista tríplice e qualquer um dos três nomes pode ser indicado para o cargo de reitor e vice-reitor.

De acordo com a legislação, “o reitor e o vice-reitor de universidade federal serão nomeados pelo presidente da República e escolhidos entre professores dos dois níveis mais elevados da carreira ou que possuam título de doutor, cujos nomes figurem em listas tríplices organizadas pelo respectivo colegiado máximo, ou outro colegiado que o englobe, instituído especificamente para este fim, sendo a votação uninominal”.




O professor Cândido Albuquerque é nomeado por Bolsonaro como novo reitor da Universidade Federal do Ceará. — Foto: Kid Junior/Sistema Verdes Mares O professor Cândido Albuquerque é nomeado por Bolsonaro como novo reitor da Universidade Federal do Ceará. — Foto: Kid Junior/Sistema Verdes Mares O professor Cândido Albuquerque é nomeado por Bolsonaro como novo reitor da Universidade Federal do Ceará. — Foto: Kid Junior/Sistema Verdes Mares

Contudo, a nomeação de Cândido Albuquerque é a segunda da história da instituição a contrariar a consulta pública realizada com os corpos discente e docente. A primeira aconteceu em 1991, quando Antônio de Albuquerque Sousa Filho foi declarado reitor.

Cândido conquistou 610 votos e ficou em terceiro lugar na consulta pública. A lista tríplice enviada a Bolsonaro continha os nomes de Custódio Luís Silva de Almeida, primeiro colocado na consulta, com 7.772 votos; e Maria Elias Soares, que se ofereceu para ocupar a vaga do segundo colocado, Antônio Gomes de Souza Filho, após ele retirar a candidatura.




Fonte: G1
Compartilhar no G+