Grito dos Excluídos no Ceará reúne manifestantes a favor da preservação ambiental


Promovido pela igreja católica no Dia da Independência, o movimento contou também com participação de associações e sindicatos.

Manifestantes se reuniram em Fortaleza e Juazeiro do Norte, para realizar o movimento Grito dos Excluídos, promovido pela arquidiocese da igreja católica, realizado tradicionalmente no Dia da Independência.

Em Fortaleza, a 25ª edição da caminhada teve concentração às 8h em frente a Escola Municipal Frei Tito, no Bairro Praia do Futuro, e seguiu às 10h para a Praça Dom Hélder Câmara, cerca de 4 km de distância. O movimento, que contou com a participação de diversos sindicatos e associações do município, percorreu as ruas do bairro e foi finalizado na Praça Dom Hélder Câmara por volta das 12h.

Neste ano, o Grito dos Excluídos abraçou as causas da luta por justiça, direito, liberdade e democracia. De acordo com a coordenadora do Grito dos Excluídos, Carolina Sales, o tema escolhido remete á tragédia ocorrida em Brumadinho e os manifestantes também gritam e reivindicam pelos cortes de verbas na educação e pela questão da Amazônia.

O padre Hermano Allegri, participante do Grito dos Excluídos disse ao G1 que percebeu que esse ano o número de sindicatos e associações aumentou, se comparado aos anos anteriores." Tem grupo de estudantes, setores sindicais, setores juvenis, LGBT, que não estavam presentes até um ano atrás", afirmou.

Ano passado os manifestantes realizaram o protesto na Avenida Beira-Mar, no Bairro Praia de Iracema.

Interior




Em Juazeiro do Norte, na Região do Cariri, os manifestantes protestaram pela revitalização e limpeza do riacho das Timbaúbas. O grupo de manifestantes se concentrou, a partir das 8h, na Avenida Castelo Branco e caminhou, em protesto, por algumas ruas dos Bairros Timbaúbas e Limoeiro.

A caminhada foi organizada pelas paróquias de Juazeiro do Norte, Barbalha e Caririaçu, municípios da região do Cariri.

Fonte: G1
Compartilhar no G+