Pai baleado durante festa de formatura da filha, no Ceará, recebe alta médica após passar mais de um mês internado


Antônio Sergio recebeu alta hospitalar na última sexta-feira (6). Ele estava internado em um hospital particular, em Fortaleza, desde que foi baleado no dia 4 de agosto.

O pai que foi baleado por um policial militar durante a festa de formatura da filha, em agosto deste ano, no município de Ipu, no interior do Ceará, recebeu alta médica, nessa sexta-feira(6). Os outros três feridos passam bem, segundo informações da família.

Antônio Sergio Vasconcelos Pontes, 48 anos, ficou internado durante um mês e quatro dias em um hospital particular, em Fortaleza. Ele foi baleado pelo policial do Raio Jorgeandro Vieira, que estava discutindo com a namorada na festa e efetuou disparos de arma de fogo com a intenção de matá-la. Cerca de 15 tiros foram disparados e quatro pessoas ficaram feridas.

O caso

O crime aconteceu na noite do dia 4 de agosto, quando o policial discutiu com a namorada, que era uma das convidadas da festa de formatura que acontecia na casa de uma amiga dela, em Ipu.

Entre os feridos, estava uma adolescente de 17 anos, irmã da formanda, a mãe dela, Antônia Ildete Pereira Pontes, 42 anos, o pai, Antônio Sergio Vasconcelos Pontes, 48 anos, e um outro convidado. Após ser contido no local, Jorgeandro foi detido e autuado por tentativa de homicídio, na Delegacia Regional de Tianguá.

Prisão mantida em audiência

A Justiça manteve a prisão preventiva do policial militar Jorgeandro Vieira, acusado de tentar matar a namorada e ferir quatro pessoas. A decisão aconteceu após uma audiência de custódia realizada no dia 19 de agosto, no fórum de Ipu. Durante a chegada e a saída do militar, familiares e amigos protestaram contra ele.

O PM foi ouvido e a defesa solicitou que a prisão preventiva fosse revogada. Na alegação, a defesa disse que o cliente possui bons antecedentes e ensino superior, mas o pedido foi negado. O juiz Fábio Rodrigues Sousa, da vara única da Comarca de Ipu, entendeu que o acusado solto representa perigo para a sociedade.

Fonte: G1
Compartilhar no G+