Pátio de concessionária é alvo de ataque incendiário em Fortaleza

Incêndio em pátio de concessionária destrói veículos com valor de até R$ 150 mil — Foto: Arquivo pessoal

Gerente da empresa afirma que veículos de até R$ 150 mil foram destruídos no ataque.

O pátio de uma concessionária da Renault foi alvo de um ataque incendiário na manhã desta terça-feira (24) em Fortaleza, em meio a onda de ataques violentos que ocorre no Ceará. De acordo com o gerente da empresa, 16 veículos com valores de até R$ 150 mil foram totalmente destruídos. Um funcionário estima o prejuízo total em cerca de R$ 2 milhões.

Conforme testemunhas, funcionários da concessionária ouviram uma explosão no local antes de o fogo se alastrar. Segundo policiais civis que estiveram no local, a hipótese é de que criminosos jogaram um material explosivo em um dos veículos, que explodiu, e o fogo atingiu carros próximos.

O crime ocorreu em meio a uma série de ataques registrados no Ceará desde sexta-feira (20). Pelo menos 35 veículos foram parcial ou totalmente destruídos com chamas e material explosivo em cinco dias de violência. Os ataques também atingiram prédios públicos e uma torre de comunicação.

Prisões e motivação dos ataques




Quatro pessoas se feriram nos crimes, incluindo um homem preso suspeito de atear fogo a veículos. Até a noite de segunda-feira (23), o Governo do Estado divulgou nesta terça que 15 suspeitos foram detidos, incluindo cinco adolescentes.

Segundo o secretário da Segurança do Ceará, André Costa, detentos querem a volta de "regalias" nos presídios do estado. "Tem um pequeno grupo de detentos trabalhando pra um grupo criminoso especificamente e eles estão revoltados, querem o retorno das regalias, querem que volte a ter visita íntima, querem que volte a ter tomada em cela. Por conta disso, eles estão incomodados, estão fazendo essas ações nas ruas, pessoas ligadas a eles. Essa é a motivação."

O secretário afirmou ainda que solicitou reforço da Força Nacional e que não vai "recuar um milímetro" das ações adotadas nos presídios do estado.

"O já determinado pelo governador Camilo Santana é que tudo que foi determinado dentro e fora dos presídios, não vamos recuar um milímetro sequer, não vamos voltar atrás, eles [criminosos que realizam os ataques] estão perdendo tempo, não adianta nada o que eles estão fazendo, não vai servir de nada no momento", concluiu André Costa.

Transporte público reduzido




Devido aos ataque que ocorrem no estado, que têm como alvos também os ônibus do transporte público, a frota está reduzida em Fortaleza. Nesta terça-feira, 70% dos veículos estão nas ruas e saem dos terminais escoltados por policiais.

Pela manhã, as paradas de ônibus estiveram mais cheias que o habitual devido à redução da oferta de veículos. Conforme o Sindicato das Empresas de Ônibus do Ceará (Sindiônibus), todas as linhas estão operando, mas com o número de veículos reduzido e algumas delas com desvio de itinerário para evitar áreas onde os crimes são mais frequentes.

Entre as vans do transporte público, que complementam o serviços de ônibus, 102 veículos circulam em Fortaleza nesta terça, 45% da frota habitual. As linhas mais afetadas são as que trafegam pelos bairros Conjunto Alvorada e Conjunto Palmeira, de acordo com o presidente do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Vans no Ceará, Célio Rodrigues.

Sequência de ataques

Sexta-feira (20)

caminhão roubado na cidade de Quixadá e incendiado em Quixeramobim.

Sábado (21)

ataque contra torre de telefonia no Bairro Messejana, em Fortaleza;

um caminhão de frios incendiado na Avenida das Adenanteras, no Bairro Cidade 2.000, em Fortaleza.

Domingo (22)

ataques a três caminhões na BR-116 no Bairro Ancuri, em Fortaleza;

posto de combustível incendiado em Quixadá;

veículo carregado de papel higiênico em Maracanaú, na Grande Fortaleza, também é incendiado;

ataque incendiário a um caminhão no Bairro Cidade 2.000, em Fortaleza;

tentativa de ataque a uma loja de veículo na Avenida Godofredo Maciel, em Fortaleza;

carro da Enel atacado em Quixadá.

Segunda (23)

ônibus particulares incendiados nos Bairros Ancuri, Aracapé e Canindezinho, em Fortaleza;

ataque a dois carros da Enel nos Bairros Jangurussu e Conjunto Esperança, em Fortaleza;

uma topique incendiada no Bairro Sítio São João, em Fortaleza;

um ônibus escolar atacado na cidade de Paracuru, na Grande Fortaleza;

uma topique incendiada no Bairro Vila Velha, em Fortaleza;

um carro da Cagece queimado;

um carro particular atacado;

um micro-ônibus incendiado no Parque São José, em Fortaleza;

um ônibus da empresa Vitória queimado na ponte da Barra do Ceará, em Fortaleza;

ônibus de banda de forró na Barra do Ceará, em Fortaleza;

um juizado especial atacado e teve um princípio de incêndio no Vila Velha, em Fortaleza;

o estacionamento da prefeitura de Jucás, no interior do Ceará, foi incendiado e quatro veículos foram atingidos pelas chamas, entre eles, dois ônibus escolares. Escolas da rede pública cancelaram aulas;

dois caminhões que estavam estacionados em uma rua no Alto Alegre II, em Maracanaú, foram queimados e um idoso ficou ferido; um caminhão de coleta de lixo foi incendiado por três suspeitos em Pacatuba, na Grande Fortaleza.

Terça-feira (24)

um caminhão de carga foi interceptado e incendiado sobre a ponte do Rio Ceará, que liga Fortaleza a Caucaia;

criminosos atearam fogo em um caminhão na Avenida Vicente de Castro, em Fortaleza; o caminhoneiro, que dormia no veículo, acordou com o susto e se feriu com as chamas;

incêndio contra dois ônibus estacionados em um posto de gasolina, no Bairro Palestina, na cidade de Canindé;

ônibus incendiado em um posto de combustível de Ibaretama, no interior do estado;

carros de uma concessionária de veículos incendiados em Fortaleza;

ataque a um ônibus da linha Conjunto São Bernardo, em Fortaleza.

Fonte: G1 Ceará
Compartilhar no G+