Aluna admite forjar acusação de estupro no Ceará, e estudante que era denunciado é solto

Oito pessoas já depuseram no DHPP sobre denúncias de estupro e importunação sexual sofridas no cursinho preparatório que funciona dentro da UFC — Foto: Daniel Aragão/Sistema Verdes Mares

O estudante que era considerado suspeito teve a prisão preventiva revogada. Outros crimes sexuais que teriam sido praticados na campus da Universidade Federal do Ceará (UFC) ainda são investigados.

Uma adolescente admitiu ter forjado uma acusação de estupro contra um estudante da Universidade do Ceará (UFC), segundo informou nesta quinta-feira (31) a Polícia Civil. O estudante que era apontado pela aluna como autor do crime teve a prisão revogada.

A Polícia Civil mantém a investigação de outras denúncias de estupros relatados por alunas da universidade. A polícia não informou se o estudante solto nesta quinta é investigado como suspeito nos demais casos.

Ainda conforme a polícia, a jovem que fingiu ter sido estuprada disse que sofreu o crime sexual em via pública. Ela reconheceu o suspeito no dia 25 de outubro, mas voltou atrás em novo depoimento no dia 28, confessando que a história foi inventada por ela mesma.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública (SSPDS), as investigações descobriram que a adolescente criou contas falsas em rede social e enviava mensagens de ameaça para ela mesma. A adolescente, então, confessou a falsa versão à polícia.

Após a confissão, o universitário teve revogada a prisão temporária, até que as investigações sejam concluídas. Segundo a Secretaria da Segurança, as equipes de investigação não encontraram provas contra o estudante detido e concluíram que não havia fundamento nas alegações apontadas pela suposta vítima.

Por conta do relato inverídico, a testemunha, menor de idade, vai responder por ato infracional análogo ao crime de denunciação caluniosa. O caso foi transferido para a Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA).

Outros crimes

Além do relato de estupro em questão, considerado falso, há outras denúncias de crimes sexuais ainda em investigação pela Polícia Civil. Um dos casos teria ocorrido em abril deste ano, com trabalhos de apuração concentrados na Delegacia de Defesa da Mulher de Fortaleza.

Ocorrências de importunação sexual relatadas por outras vítimas ouvidas pelo Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) são apuradas pela 12º Delegacia.

Oito pessoas já depuseram no DHPP sobre denúncias de estupro e importunação sexual sofridas por estudantes de um cursinho preparatório, em Fortaleza. As vítimas são acompanhadas pelo Centro de Referência e Apoio à Vítima de Violência, da Secretaria de Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos (SPS

Fonte: G1 Ceará
Compartilhar no G+