PF prende acusado de matar Gegê do Mangue em Praia Grande

Ele é acusado de matar dois chefes de facção criminosa — Foto: Divulgação/Polícia Federal

'Andrezinho da Baixada' era procurado há aproximadamente um ano pelas autoridades. Foi encontrado em um condomínio de luxo, no bairro Guilhermina.

O empresário André Luiz da Costa Lopes, de 41 anos, o 'Andrezinho da Baixada', foi preso pela Polícia Federal, na tarde desta quinta-feira (31), em um condomínio de alto padrão, no bairro Guilhermina, em Praia Grande, litoral de São Paulo. Ele é acusado de participar diretamente do assassinato de Rogério Jeremias de Simone, o 'Gegê do Mangue', e Fabiano Alves de Souza, o 'Paca', no Ceará. Ambos eram chefes de organização criminosa.

Ele é apontado pelo Ministério Público do Ceará como um dos participantes do crime, que ocorreu em fevereiro de 2018, em uma reserva indígena, em Aquiraz, na região Metropolitana de Fortaleza, no Ceará. Na ocasião, os dois foram encontrados com tiro no rosto e facada no olho.

Com um mandado de prisão, expedido pela 1ª Vara da Comarca de Aquiraz , no Ceará, ele foi preso por equipes da Delegacia de Repressão a Drogas de São Paulo (DRE/SP) da Delegacia de Repressão a Drogas do Ceará (DRE/CE). Andrezinho foi conduzido para a Superintendência da Polícia Federal em São Paulo, onde também será autuado em flagrante por uso de documento falso.

A PF tentava encontrá-lo há praticamente um ano, quando ele se apresentou espontaneamente em uma Delegacia do Guarujá e prestou depoimento negando participação no assassinato de Gege e Paca. Apesar de haver contra ele um mandado de prisão preventiva, a polícia não pôde prendê-lo na ocasião por causa da Lei Eleitoral.

Depois isso, Andrezinho desapareceu. A PF, então, fez levantamentos e cruzou informações até chegar no prédio de luxo, em Praia Grande. Os agentes montaram ‘campana’ em frente ao local, e, no fim da tarde, deram voz de prisão enquando o suspeito entrava no prédio. Ele não reagiu e também não estava armado. A polícia acredita que ele estivesse circulando sem armas porque usava nome e documento falso.

Fonte: G1 Ceará
Compartilhar no G+