Polícia Civil e Universidade Federal do Ceará apuram denúncias de crimes sexuais ocorridos no Campus do Pici

Alunas denunciam crimes sexuais em campus da Universidade Federal do Ceará — Foto: Daniel Aragão/Sistema Verdes Mares

Uma das vítimas diz que três estudantes a estupraram. Polícia apura se suspeitos cometeram crimes contra mais vítimas.

A Polícia Civil apura uma denúncia de estupro e outra de uma tentativa de estupro dentro do campus do Pici da Universidade Federal do Ceará (UFC). A universidade abriu sindicância para apurar os supostos crimes sexuais.

O G1 teve acesso aos dois boletins de ocorrência registrados na polícia. O estupro ocorreu em abril e foi denunciado em maio, relatou a denunciante à polícia. A suposta vítima diz três alunos a abordaram e a encostaram contra uma parede. Um deles levantou o vestido dela e a estuprou, ainda de acordo com a denúncia. Segundo o relato, a estudante foi sufocada ao tentar gritar por socorro.

Já a tentativa de estupro foi denunciada por um policial militar que estava de serviço em uma base móvel dentro do campus. O PM disse ter sido abordado por uma menor de idade estudante da universidade relatando a tentativa de estupro. A vítima foi submetida a um exame de corpo de delito.

A polícia apura ainda informações de outras estudantes ameaçadas pelo mesmo grupo de criminosos, por meio das redes sociais.

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado do Ceará informou que a denúncia de estupro foi remetida para a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) e, em seguida, encaminhada para a Polícia Federal. O segundo caso, este sobre o crime contra a dignidade sexual, foi registrado e encaminhado para a Delegacia de Combate à Exploração da Criança e do Adolescente (Dceca) que transferirá também para a PF.

A UFC acrescentou que "repudia veementemente todo e qualquer ato de violência". A sindicância corre em sigilo para "preservar os nomes das vítimas e de não prejudicar as investigações".

Fonte: G1 Ceará
Compartilhar no G+