Prédio residencial de sete andares desaba em Fortaleza, no Ceará, e deixa ao menos dois mortos


Ao menos seis equipes do Corpo de Bombeiros estão no local, além de viaturas da Polícia Militar e de agentes da Defesa Civil

RIO — Um prédio de sete andares desabou na manhã desta terça-feira, em Fortaleza , no Ceará . O edifício Andrea estava localizado na esquina da Rua Tomás Acioli com a Rua Tibúrcio Cavalcante, no bairro Dionísio Torres. Segundo o Corpo de Bombeiros, até o momento, duas pessoas morreram , outras oito foram resgatas com vida do local, e 10 pessoas foram reclamadas por familiares, porém, ainda não é possível afirmar se estas´pessoas estão nos escombros do prédio.

O comandante da operação de resgate coronel bombeiro Clayton Bezerra disse ao O Globo que duas vítimas estão breve de ser resgatadas.

— Uma está no hall perto de do elevador e outra no mercadinho que foi atingido. Estamos fazendo um trabalho de formiguinha para resgata-los, como também as outras dez pessoas reclamadas pelas famílias.

O Tenente Romário, assessor do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil do Ceará, em entrevista à "GloboNews" explicou a dinânimica do trabalho dos militares.

— Começamos o resgate na parte mais alta do prédio, onde é mais fácil encontrar pessoas. Mas são muitas as camadas e não podemos usar escavadeiras porque isso poderia machucar quem está lá. Procuramos ouvir algum sinal sonoro que indique a presença de pessoas nos destroços. Esse trabalho pode demorar dias — disse Tenente Romário, assessor do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil do Ceará, em entrevista à "GloboNews".

O desabamento ocorreu por volta das 10h30min. A estimativa é de que nove pessoas estejam sob os escombros. Ainda não se sabe quantos apartamentos havia por andar. Ao menos seis equipes do Corpo de Bombeiros estão no local, além de viaturas da Polícia Militar e de agentes da Defesa Civil. As equipes de resgate têm o auxílio de cães farejadores , drones e uma plataforma mecânica que possibilita uma visão elevada para fazer as buscas.

A Secretaria Municipal da Saúde de Fortaleza informou, em nota, que instalou um comitê de crise para atender as vítimas.

— Eu estava em casa. Há 30 minutos ouvi um barulho forte. Como se fosse uma batida de caminhão, coisa do tipo. Em seguida ouvi um barulho desencadeado. Eu disse: não. Caiu alguma coisa. Desabou alguma coisa. Olhei pela janela e vi poeira muito forte e gente correndo — disse Mário Ferreira, morador da região, ao "G1".

Fonte: O Globo
Compartilhar no G+