Acusado de matar Gegê do Mangue e Paca será transferido para presídio federal em caráter de emergência, decide Justiça cearense

'Gegê do Mangue' e 'Paca' foram mortos a tiros em uma emboscada preparada pela própria facção. — Foto: Reprodução

André Luís da Costa Lopes, o 'Andrezinho da Baixada', foi preso em outubro deste ano, acusado do duplo homicídio dos chefes de facção, ocorrido em 2018.

Mais um acusado de matar Rogério Jeremias de Simone 'Gegê do Mangue' e 'Fabiano Alves de Souza', o 'Paca', vai ao presídio federal de segurança máxima. A Justiça cearense decidiu que André Luís da Costa Lopes, o 'Andrezinho da Baixada', deve ser transferido em caráter de emergência. 'Andrezinho' é denunciado pelo duplo homicídio dos chefes de uma facção paulista, ocorrido em fevereiro de 2018, no município de Aquiraz, Região Metropolitana de Fortaleza.

Gegê e Paca foram encontrados mortos em uma reserva indígena de Aquraz. Conforme a investigação, membros da facção ordenaram a morte dos dois porque eles usavam dinheiro da organização criminosa para sustentar uma vida de luxo. Eles viviam em uma mansão e possuíam carros de luxo, que foram apreendidos pela Justiça.

André Luiz foi preso pelo crime no dia 31 de outubro deste ano. Desde a captura dele, a Superintendência Regional da Polícia Federal no Ceará (PF) e o Ministério Público do Estado (MPCE) já haviam alertado sobre a necessidade de enviar o acusado a um presídio federal.

A defesa do acusado chegou a argumentar que a transferência não era necessária. Segundo o advogado Valdemir Batista Santana, o delegado da Polícia Federal teve "imaginação fértil" ao justificar a medida de caráter excepcional. "O acusado somente esteve no Nordeste em uma única oportunidade, em especial, em Fortaleza, onde teve seu nome envolvido indevidamente nos fatos em apuração na presente ação penal", conforme fala da defesa.

Processo

Em outubro do ano passado, 'Andrezinho da Baixada' se entregou à Delegacia de Guarujá, em São Paulo, acompanhado de um advogado. A 1ª Vara da Comarca de Aquiraz - onde transcorre o processo por homicídio qualificado - enviou a cópia do mandado de prisão preventiva que estava em aberto para a cidade. Na época, André não pode ser preso, por conta da lei do período eleitoral.

Além de 'Andrezinho', foram acusados pelos assassinatos e por organização criminosa: Gilberto Aparecido dos Santos, o 'Fuminho'; Carlenilto Pereira Maltas, o 'Ceará'; Erick Machados Santos, o 'Neguinho Rick da Baixada'; Ronaldo Pereira Costa; Tiago Lourenço de Sá de Lima; Renato Oliveira Mota; Maria Jussara da Conceição Ferreira Santos; Jefte Ferreira Santos; e o piloto Felipe Ramos Morais.

Wagner Ferreira da Silva, conhecido como Cabelo Duro, seria o 11º envolvido. Ele foi morto poucos dias após o duplo homicídio.

Dos 10, quatro estão presos e os outros seis permanecem na condição de foragidos. Os presos são André Luís, Jefte Ferreira, Felipe Ramos e Carlenilto Pereira. Felipe e Carlenilto também estão em unidade prisional de segurança máxima. O caso permanece em fase de instrução processual e não há expectativa para a data do julgamento.

Fonte: G1
Compartilhar no G+