Moradores de prédio a 1 km do Edifício Andrea, em Fortaleza, são orientados a deixarem casas para reforma da estrutura

Edifício Mirele, no Bairro Dionísio Torres, em Fortaleza, tem 26 apartamentos. — Foto: Camila Lima

Saída dos residentes foi recomendada pela Defesa Civil por segurança. Órgão realizou visitas técnicas ao edifício, mas descartou risco de desabamento.

Moradores de um prédio residencial com 26 apartamentos no Bairro Dionísio Torres, em Fortaleza, foram orientados pela Defesa Civil a deixarem suas casas para a reforma da estrutura. A recomendação ocorreu na terça-feira (12), após duas visitas técnicas realizadas pelo órgão ao edifício, localizado a 1 km de distância do Edifício Andrea, que desabou no dia 15 de outubro. O reparo deve durar seis meses.

Segundo o coordenador da Defesa Civil, Luciana Angelo, o prédio não corre risco de desabamento e a retirada dos moradores é recomendada por motivos de segurança. "A vistoria verificou que o prédio não corre risco de desabamento. Os dois locais, onde será feito o trabalho maior de recuperação, já têm escoramento", afirmou.

Conforme o profissional, os trabalhos só devem começar após a elaboração do laudo da inspeção predial para que seja entregue ao órgão de fiscalização, com a ata que foi aprovada pelos moradores. O Edifício Mirele tem aproximadamente quarenta anos e já passou por outras reformas.

Infiltrações e problemas no elevador

A principal preocupação dos moradores é com uma infiltração constatada em alguns andares. As vistorias da Defesa Civil também identificaram problemas na laje do elevador. De acordo com a professora Clébia Lima Couto, que mora no quarto andar, há pressa entre os condôminos para a execução do serviço. "Esse prédio tem 38 anos. É evidente que a gente tem que correr para fazer a reforma", comentou.

Uma outra moradora, que não quis se identificar, já está procurando um novo apartamento na área com o pai. Segundo ela, o prédio já havia passado por outras reformas, porém o problema de infiltração é constante e está afetando a estrutural do local.

“Estamos na correria, procurando apartamentos pela área, para não ter que mudar tanto a rotina. Mas tudo bem, a gente prefere que digam a verdade do que continuar dessa forma. Melhor ser feito do jeito certo”, afirmou.

Apesar da recomendação, parte dos residentes não quer sair do prédio e terá que assinar um termo de responsabilidade.

Desabamento do Edifício Andrea completa um mês

O desabamento do Edifício Andrea, em Fortaleza, completa um mês na próxima sexta-feira (15). O prédio, localizado também no Bairro Dionísio Torres, possuía sete andares e caiu na manhã de 15 de outubro, deixando nove mortos. Sete pessoas foram resgatadas com vida.

A edificação estava em processo de orçamento de obras para recuperação estrutural. Vistoria técnica realizada por uma empresa de engenharia detectou pelo menos 135 pontos com falhas na área do pilotis. Imagens de câmeras captadas no dia do desabamento também mostraram colunas do prédio danificadas.

Fonte: G1 Ceará
Compartilhar no G+