Após negociação, EUA libertam cientista iraniano e Irã solta estudante americano

Montagem mostra cientista iraniano Massud Soleimani e estudante Xiyue Wang — Foto: Javad Zarif/ Princeton University via AP

Americano Xiyue Wang cumpria 10 anos de prisão por espionagem no Irã. Massud Soleimani, professor de universidade de Teerã, foi preso antes de ser julgado, segundo agência.

Irã e os Estados Unidos realizaram uma troca de prisioneiros neste sábado (7) em uma rara pausa na tensão que tem marcado a relação diplomática entre os dois países nos últimos meses.

O cientista iraniano Massud Soleimani, que estava detido nos EUA, e o estudante sino-americano Xiyue Wang, no Irã, deixaram as prisões.

Massud Soleimani, professor da Universidade Tarbiat Moddares de Teerã e especialista em células-tronco, foi aos Estados Unidos em 22 de outubro de 2018 para pesquisa e foi mantido em detenção sem julgamento, segundo a agência Irna.

Xiyue Wang, pesquisador sino-americano, cumpria 10 anos de prisão por espionagem no Irã. Aluno de doutorado em história na Universidade de Princeton, nos Estados Unidos, Wang estava realizando pesquisas sobre a dinastia Qajar no Irã, onde foi preso em agosto de 2016.

Essa troca de prisioneiros acontece em um momento em que o regime de Hassan Rouhani sofre com o impacto das sanções econômicas impostas pelo governo de Donald Trump, que retirou os EUA do acordo nuclear de 2015.

O governo iraniano ainda enfrenta uma onda de protestos populares que já deixou mais de 200 mortos, de acordo com a Anistia Internacional. O regime nega esse balanço de vítimas.




Anúncio

O anúncio das libertações foi feito pelo ministro iraniano das Relações Exteriores e pelo presidente americano, Donald Trump.

Sinto-me "feliz pelo professor Massud Soleimani e pelo senhor Xiyue Wang que vão encontrar em breve suas famílias", tuitou o ministro iraniano Mohammad Javad Zarif.

Zarif enviou "um grande obrigado a todos os envolvidos, especialmente ao governo suíço", que representa os interesses dos Estados Unidos em Teerã. Desde 1980, as relações diplomáticas entre os dois países estão suspensas.

Por sua vez, Trump não mencionou a libertação simultânea de Soleimani no comunicado sobre a libertação de Wang.

"Depois de ficar detido por mais de três anos no Irã, Xiyue Wang está a caminho dos Estados Unidos", afirmou.

Fonte: G1
Compartilhar no G+