Quadrilha especializada em falsificar documentos para financiar motos e fazer compras no comércio de Fortaleza é presa pela Polícia Civil


Três integrantes foram presos em flagrante quando tentavam sair do local com uma moto. Outro foi detido em sua casa com materiais utilizados para a confecção dos documentos.

A Polícia Civil desarticulou, nesta quinta-feira (19), uma quadrilha que se utiliza de documentos falsos para financiar motos em concessionárias e fazer compras no comércio de Fortaleza. Durante a ação, quatro suspeitos foram presos. Dois dos suspeitos já possuem passagens pela polícia por estelionato e porte ilegal de arma de fogo.

De acordo com o delegado do 34º Distrito Policial, Fernando Cavalcante, com os dados das vítimas, eles confeccionavam documentos de identidade e comprovantes de endereço e renda para realizar as fraudes.

Ainda segundo o delegado, o grupo utilizava dados de vítimas de roubos e furtos. Os integrantes conseguiam esses registros diretamente com assaltantes.

“Essas quadrilhas conseguem essas documentações, esses dados, porque elas compram às vezes, das pessoas que praticam esses roubos, dos assaltantes, dos furtadores, e aproveitam esses dados para checarem se a pessoa tinha o nome sujo. Quando a pessoa tinha o nome limpo, eles criavam crédito para a pessoa para fazer as compras de alto valor”.

Prisão em concessionária

A prisão do grupo ocorreu no exato momento em que um integrante se preparava para sair de uma concessionária com uma moto, comprada com o uso de documentos falsos.

Três foram presos em flagrante e outro em uma residência no Bairro Bom Jardim. No imóvel, os policiais apreenderam todo o material utilizado para falsificar identidades e comprovantes de endereço, como computadores e três impressoras.

“Eles já tinham dado a entrada em um financiamento fraudulento. Um dos suspeitos estava lá esperando só para receber a moto e enquanto outros dois estavam numa rua por trás da concessionária só esperando o desfecho”, relata o delegado.

A polícia não descarta o envolvimento de outras pessoas com a quadrilha. As investigações continuam. O grupo vai responder por estelionato, associação criminosa, falsificação de documento público e privado, e uso de documento falso.

Fonte: G1
Compartilhar no G+