Cadela resgatada por policiais em Fortaleza ajuda tutor no tratamento da depressão

Carlos Bessa adotou Mel há cinco anos — Foto: José Leomar/SVM

Mel pulou do carro e foi localizada com auxílio de sistema de monitoramento da Polícia.

A golden retriever Mel, que estava desaparecida e foi encontrada pela Polícia em Fortaleza, foi finalmente devolvida ao lar. O animal havia sumido após pular do carro a caminho de uma clínica veterinária na última semana e foi localizado com uso do Sistema Policial Indicativo de Abordagem (Spia). De volta para casa, Mel retoma a missão de ajudar o tutor no tratamento da depressão.

Ela foi adotada pelo empresário Carlos Bessa, 44, há cinco anos, quando ele soube que se tornaria pai outra vez e recebeu a recomendação de ter um cão para auxiliar no desenvolvimento da criança. Mas, além do filho de Carlos, Mel contribui para a saúde do próprio tutor. “Todo dia é como se ela olhasse para mim e dissesse: 'eu preciso de você e você precisa de mim'”, destaca.

Na última semana, Carlos decidiu levar a cadela ao veterinário por notar que o animal estava fraco e sangrando. Ao chegar à clínica, o empresário percebeu que Mel não estava no carro e refez o caminho para tentar encontrá-la. Ele conversou com moradores que relataram ter visto o animal ser levado em um veículo. Carlos, então, foi ao 5º Distrito Policial (DP) com o número da placa do veículo.

“De início, nós pensávamos que tinha sido um furto de animal, mas investigando chegamos até um veículo Tucson e ao Bairro José Walter”, lembra o inspetor Joel Chaves. Perdida no meio da rua, Mel tinha sido resgatada. Chegando ao endereço, os policiais souberam que a dona do veículo que pegou a cadela não morava mais no local e foram ao Bairro Mondubim. “Entramos em contato e ela estava chegando no Icaraí. No finalzinho da tarde encontramos a dona do veículo e conseguimos devolver a Mel ao Carlos”, relata o inspetor.

Utilizado na operação, o Spia permite otimizar as estratégias policiais com rastreamento de placas de carros, explica Joel Chaves.

“É um caso muito atípico porque na delegacia chega muita tragédia, como roubo e homicídio. Um caso desses é incomum. Sinto gratidão de estar ali presente e poder ajudar a Mel a voltar para o Carlos”, comenta o inspetor.

Emocionado ao refletir sobre a importância do animal na família, Carlos agradeceu o empenho da equipe policial para encontrar a Mel. “Para muitos poderia ser apenas um cachorro, mas eles viram que eu estava aflito e a minha preocupação naquele momento era a de que a Mel precisava de cuidados médicos. Eu não sabia quem tinha pegado, mas eu me senti muito confiante”, destaca.

Agora, o animal está sendo tratado, usando antibiótico e já apresenta melhora. Mel deve passar por novos exames na próxima semana.

*Sob supervisão de Márcio Dornelles e Mariana Lazari

Fonte: G1 Ceará
Compartilhar no G+