Crivella inaugura tomógrafo em hospital onde idosa foi cortada ao retirar gesso e pede desculpas


Alda Waltz Lisboa recebeu 18 pontos no braço depois que o técnico em imobilização a feriu. Ela se queixou de dor, mas o funcionário disse que era o gelado da tesoura.

O prefeito Marcelo Crivela participou, nesta sexta-feira (17), da inauguração de um tomógrafo no Hospital Rocha Maria, o mesmo onde uma idosa de 93 anos teve o braço cortado na retirada de um gesso e recebeu 18 pontos.

Ele pediu desculpas, ressaltou o número de cirurgias feitas na sua gestão e disse que os erros são raros.

"Eu lamento muito. (...) Peço desculpas por isso que ocorreu. Infelizmente, às vezes a gente tem problemas. Graças a Deus, são minoria, são pequenos problemas que ocorrem eventualmente". Alda Waltz Lisboa, de 93 anos, esteve na unidade em Campo Grande, na Zona Oeste, na quarta. Ela vai fazer um exame de corpo de delito nesta sexta, quando também receberá a visita da secretária de saúde.

"O cara meteu a tesoura, começou a machucar, eu falei pra ele que estava doendo e ele: 'Ah, mas já está no final'", relatou a idosa.

'Gelado da tesoura', justificou funcionário O hospital informou que está investigando o caso e que o funcionário foi afastado. Ainda segundo a unidade, uma enfermeira e uma assistente social estão prestando apoio à idosa em sua casa.

Alda vai passar por um exame de corpo de delito nesta sexta (17). Thaisa Waltz, sobrinha-neta da paciente, acompanhava a parente e tentou acalmá-la.

"Quando ele começou a botar a tesoura na mão dela, ela reclamou que estava sendo cortada e ele não parou. Foi tudo muito rápido, não durou nem um minuto. Ele cortando falou que era impossível estar cortando a pele dela porque a tesoura não tinha ponta. E quando chegou mais em cima (do braço) ainda mexeu a tesoura dentro do gesso e falou que o que ela estava sentindo era o gelado da tesoura".

Fonte: G1
Compartilhar no G+