Dólar bate R$ 5 pela 1ª vez

                                       Notas de dólar — Foto: Gary Cameron/Reuters

Com o salto desta quinta-feira (12), o avanço da moeda dos EUA no ano chega a quase 25%.

O dólar abriu em forte alta nesta quinta-feira (12), batendo R$ 5 pela 1ª vez, com os mercados de olho nos impactos do coronavírus na atividade econômica mundial, após a Organização Mundial de Saúde (OMS) ter classificado o surto como uma pandemia.

Às 9h13, a moeda norte-americana subia 5,63%, a R$ 4,9872. Na máxima até o momento chegou a R$ 5,0277. Veja mais cotações.

Com o salto, o avanço no ano chega a quase 25%.

O Banco Central anunciou nesta quinta leilão de venda à vista de até US$ 2,5 bilhões, cancelando o anúncio de venda de até US$ 1,5 bilhão feito no dia anterior.

Veja últimas notícias sobre os mercados

Na véspera, o dólar encerrou o dia em alta de 1,65%, a R$ 4,7215. Na máxima, marcou R$ 4,7584. Na semana, o dólar acumula alta de 1,88%. Na parcial do mês, o avanço é de 5,37%. Em 2020, a alta chega a 17,75%.

Pesava também no mercado de câmbio nesta quinta a derrota sofrida pelo governo no final da tarde de quarta-feira, após o Congresso Nacional derrubar o veto presidencial a projeto que amplia o acesso ao Benefício de Prestação Continuada (BPC), com impacto estimado em cerca de R$ 20 bilhões já no primeiro ano.

Em razão do impacto orçamentário da medida, o mercado enfrenta agora outro vetor de risco, do lado fiscal brasileiro, o que aumenta as incertezas sobre as relações entre Executivo e Legislativo, e sobre o ritmo de recuperação da economia brasileira.

Ampliação do BPC pode dificultar aumento de recursos para fundo de educação básica, diz Maia

Cena externa

Do lado externo, os mercados globais reagiam nesta quinta à decisão do presidente americano, Donald Trump, que suspendeu por 30 dias viagens de estrangeiros procedentes de Europa aos Estados Unidos, numa tentativa de travar a rápida propagação do coronavírus.

Trump anunciou outras medidas para sustentar as empresas norte-americanas e promover o crescimento, mas alguns investidores não se mostraram convencidos de que a economia global pode se recuperar rapidamente conforme crescem as preocupações de que o número de infecções pode aumentar rapidamente em todo o mundo.

BC faz novo leilão de dólar à vista

O Banco Central (BC) realiza nesta quinta um novo leilão de dólares em moeda à vista. O lote ofertado será de até US$ 1,5 bilhão.

O BC voltou a oferecer recursos das reservas internacionais nesta semana diante da disparada da volatilidade e da tensão no mercado de câmbio, seguindo deterioração nos mercados internacionais.

Apenas nesta semana, a autoridade monetária já vendeu US$ 5,465 bilhões em dólar à vista, sendo US$ 2 bilhões na terça-feira e US$ 3,465 bilhões de dólares na segunda-feira -- este o maior volume a ser liquidado em um único dia desde pelo menos o começo de maio de 2009.

Antes da atual rodada de leilões, desde 20 de dezembro do ano passado o BC não realizava esse tipo de operação -- retomada em agosto de 2019 depois de uma década sem ser utilizada.

Entenda: swap cambial, leilão de linha e venda direta de dólares

Os atuais leilões de dólar das reservas têm ocorrido de forma alternada a ofertas de swap cambial. Nesta quarta, o BC vendeu todo o lote de 1 bilhão de dólares disponibilizado em swaps tradicionais --derivativo cuja colocação equivale a uma venda de dólar no mercado futuro de câmbio.

Neste ano, o BC já vendeu o equivalente a 10,50 bilhões de dólares em swaps cambiais --todo esse montante em colocações líquidas, ou seja, na forma de dinheiro novo.

Fonte: G1
Compartilhar no G+