'Galo Edmundo' é adotado por criança de 5 anos e vira o melhor amigo do garoto em Fortaleza

Galo virou melhor amigo do garoto e juntos foram até para praia em Fortaleza — Foto: Arquivo Pessoal

Criado por Pedro Vinícius desde de dezembro do ano passado, o galo se tornou um membro da família da criança.

Uma amizade inusitada uniu o pequeno Pedro Vinicius e o galo Edmundo desde o fim do ano passado. A criança, que tem cinco anos e mora em Fortaleza, resolveu criar o animal após ganhá-lo, ainda pintinho, de presente de uma tia. Depois disso, foi capaz de se afeiçoar a cada dia, transformando-o quase em um membro da família.

"Ele é o meu melhor amigo", afirma com alegria o garoto quando questionado sobre a importância do pequeno frango. Se antes Edmundo, era "pequeninho e amarelinho", como Vinicius gosta de contar, hoje o animal já está grande. Mas o amor só aumenta. Quando o assunto é definir o tamanho e até onde vai o sentimento pelo Ed, Vini, como é apelidado, não hesita. "Vai até o espaço, até a lua e até o sol". Segundo a mãe da criança, Carol Benevides, o fortalecimento da amizade com o passar do tempo não foi uma grande surpresa.

"O Vini adora animais e aqui a gente tem muitos bichinhos. Já vinha um tempo que ele pedia um pintinho e a gente relutava porque já tinham muitos aqui em casa. Quando foi a última vez que ela (tia) esteve aqui, porque ela mora em São Paulo, ela não resistiu e presenteou. Eu achei que ele nem iria resistir, de tão pequeninho que era, mas deu nisso tudo. Eles não se desgrudaram mais", explica.

Na casa, dois cachorros já são criados há algum tempo e, exatamente por isso, a preocupação com o crescimento de Edmundo começou a se tornar presente.

No início do ano, a ideia seria colocar o frango para viver em um sítio, localizado a poucos metros do condomínio onde vive a família de Pedro Vinicius. No entanto, o resultado não foi bem o esperado.

"Me vi com a problemática da casa pequena. Como ele cresceu muito, não tinha mais como continuar aqui no condomínio. Então a gente tentou dar para um sítio aqui no final da rua, porque lá tem um galinheiro, muitos bichos. A ideia era ir todo fim de tarde até lá visitá-lo. O Vini chorou no começo, mas explicamos que todo dia ele poderia visitar. Mesmo assim o Edmundo não conseguiu se adaptar e só ficou por lá quatro dias", diz Carol.

O animal não se adaptou ao local, nem aos novos companheiros de sítio. A família conta que o franguinho só se alimentava quando o menino chegava ao galinheiro para visitá-lo e também o se distanciou das aves, ficando perto das vacas. Com a situação, resolveram levá-lo de volta.

Por conta disso, o animal foi parar na casa da avó da criança, que também vive nas proximidades. Agora, como Vinicius passa as tardes lá, a amizade entre os dois conseguiu ser mantida. No dia a dia, passou a ensinar ao bicho como se exercitar e faz com que ele obedeça comandos simples.

"A primeira coisa que eu ensinei a ele foi a fingir de morto. Eu ando com ele de carrinho ( de bebê do irmão caçula), de caminhão", diz.

Para a mãe, a esperança é que o laço dure ainda por muito tempo. "Pesquisei e vi que eles vivem pelo menos 12 anos", afirma aos risos. Enquanto isso, Pedro Vinicius deve continuar a incluir Edmundo na rotina da família, como no dia em que levou o galo até a praia. "O meu sonho é ter uma fazenda para criar o Edmundo e não ter mais nenhum bicho, só ele", brinca o pequeno, sem esquecer de colocar o amigo nos planos futuros.

Fonte: G1 Ceará
Compartilhar no G+