Taxa de contaminação da Covid-19 no Ceará é a terceira maior do Brasil


A cada 100 mil habitantes, a incidência do novo coronavírus no estado é de 1,78. No Distrito Federal e no Acre o número é ainda maior.

O Ceará permanece sendo o estado da região Nordeste com mais casos do novo coronavírus. Um levantamento comparativo feito pelo G1 mostrou outro dado preocupante: o Estado é a terceira unidade do Brasil com maior índice proporcional de incidência da doença. A cada 100 mil habitantes, a taxa de contaminação da população é de 1,78. Atualmente há em torno de nove milhões de residentes no estado.

Para o levantamento foram levados em consideração os casos confirmados pelas secretarias estaduais de saúde, até às 18h dessa segunda-feira (23).

A comparação com as demais unidades da federação mostrou que o Distrito Federal, com quase três milhões de habitantes, é o primeiro do ranking. Lá, a incidência do Covid-19 é de 4,43 a cada 100 mil pessoas. O Acre ocupa a segunda posição. São 891 mil habitantes e a taxa é de 1,90.

No Maranhão, onde até ontem o Ministério da Saúde tinha confirmado dois casos da doença, a taxa de incidência é a menor do país: 0,02.

O número de casos confirmados de pacientes com coronavírus no Ceará subiu para 164 de acordo com novo boletim epidemiológico divulgado nesta segunda-feira (23) pela secretaria estadual da Saúde. A quantidade de casos suspeitos e os descartados não são mais divulgados.

Ocorrências

Quando considerados os números absolutos, o Ceará também se figura como terceiro estado com maior índice de casos no Brasil, ficando atrás de São Paulo, com 745; e Rio de Janeiro, com 191. No Ceará, até o momento, não há registros de mortos devido ao novo coronavírus.

O infectologista Bráulio Matias de Carvalho pontua que “falar sobre essa taxa de incidência é muito relativa e depende das decisões governamentais que estão sendo tomadas”, pois, segundo ele, “isso muda conforme as decisões, até mesmo se se recomenda isolamento mais recentemente ou mais tardio”.

Para o médico, o fato do Ceará ser uma porta de chegada da Europa influenciou diretamente no rápido aumento dos casos. “Há uma íntima relação com as viagens. É tudo muito novo. É preciso pensamento coletivo. De 0 a mil, a importância do isolamento domiciliar é mil. A principal saída nesse momento é o isolamento social. Sabemos que isso vai ser uma temporada. A primeira medida é essa. Antes de sair de casa pense: é essencial sair mesmo? Se não for, não saia", disse.

O infectologista Ramiro Moreira ressalta que o índice médio no Ceará está dentro do previsto. Segundo Moreira, "precisamos aguardar mais um pouco para discorrer sobre isso. Há muitos pacientes no aguardo do resultado do exame".

Fonte: G1
Compartilhar no G+