Últimas notícias de coronavírus de 9 de março

Mulher segurando bandeiras tibetanas usa máscara contra o Covid-19 em McLeod Ganj, na Índia, nesta segunda-feira (9). — Foto: Sajjad Hussain / AFP

Alemanha já tem mais de mil casos, um quarto da população da Itália está em quarentena e Brasil tem 25 casos confirmados. Veja destaques desta segunda.

A China anunciou nesta segunda-feira (9) que registrou o menor número diário de infecções pelo novo coronavírus desde o início de janeiro, o Brasil tem 25 casos confirmados de Covid-19 e um quarto da população da Itália está em quarentena por causa da doença.

Casos e mortes

A China tem tem 80.904 infecções diagnosticadas, com 3.123 mortes.

Nas últimas 24 horas, a Alemanha registrou 150 novos casos de contágio por Covid-19, o que eleva a 1.112 o número de pessoas afetadas pela epidemia, anunciou nesta segunda-feira (9) o Instituto Robert Koch, que supervisiona o combate às epidemias no país. O principal foco da doença está na região da Renânia do Norte-Vestfália, na fronteira com Holanda e Bélgica.

Na Itália, país mais atingido no continente europeu, foram registrados 7.375 casos da doença e 366 mortes. Quase metade dos casos está na Lombardia, região mais atingida. Um quarto da população está em quarentena por causa do Covid-19 (veja detalhes mais abaixo).




Na Coreia do Sul, o número de casos chegou a 7.478 nesta segunda (9), mas o ritmo de novas infecções diminuiu, segundo a agência de notícias Yonhap. No domingo, foram registrados 248 novos casos, o menor número diário desde 26 de fevereiro. O país registrou 51 mortes pela doença, segundo o centro de controle coreano.

No Irã, foram registradas 237 mortes e 7.161 casos da doença até esta segunda (9), informou o ministério da Saúde. Quarentena e fechamentos

A quarentena na Itália, decretada no sábado (7) como tentativa de conter o vírus, deve durar até 3 de abril. Cerca de 16 milhões de pessoas no norte do país estão em isolamento; museus, escolas e pontos turísticos, como a Pompeia e o Coliseu, foram fechados. Funerais e eventos culturais foram cancelados, e a ordem do governo requer que as pessoas mantenham distância de pelo menos um metro umas das outras em eventos esportivos, bares, igrejas e supermercados. As aulas já haviam sido suspensas em todas as escolas e universidades do território italiano.

Na Espanha, o governo fechou escolas na cidade de Labastida, no País Basco, depois de mais de 150 casos serem identificados na região. O ministério da Saúde espanhol registrou 999 casos de Covid-19 até esta segunda-feira (9), a maior parte deles ao redor de Madri e Vitória, no norte do país.

Nos Estados Unidos, mais um condado de Nova York fechou escolas depois que um professor testou positivo para o vírus. A Universidade de Columbia e a Faculdade Barnard, ambas na cidade de Nova York, cancelaram aulas nesta segunda (9) e terça (10), e terão aulas remotas pelo resto da semana depois que uma pessoa foi posta em quarentena por causa do novo coronavírus.

Ainda nos EUA, um navio de cruzeiro que havia sido mantido longe da costa da Califórnia depois que 21 pessoas a bordo testaram positivo para o novo vírus deve atracar nesta segunda (9) em Oakland, perto de San Francisco.

Em Xangai, na China, o complexo da Disney reabriu parcialmente nesta segunda, mais de um mês depois de fechar por causa da epidemia. O parque de diversões segue fechado, mas um número limitado de lojas, restaurantes e um hotel retomaram as atividades.

A Fifa e a Confederação Asiática de Futebol adiaram as partidas de qualificação para a Copa da Ásia, marcadas para março e junho, por causa do novo coronavírus.

Várias embaixadas na Coreia do Norte fecharam com a saída de diplomatas, depois de semanas de restrições impostas pelo governo por causa do novo coronavírus. O país não registrou, oficialmente, nenhum caso da doença.

Retorno às aulas na China

Na contramão de Europa e Estados Unidos, as primeiras escolas reabriram na China nesta segunda-feira (9), segundo o jornal americano "The New York Times". Em Qinghai, uma região montanhosa remota no oeste do país, as aulas serão retomadas até a semana que vem para escolas de ensino fundamental, mas as de ensino infantil e jardim de infância ficarão fechadas por enquanto.

Em fevereiro, o governo chinês havia anunciado que as escolas só poderiam reabrir quando a epidemia estivesse sob controle, e a saúde e segurança dos alunos pudesse ser garantida.

Qinghai é uma das regiões chinesas menos atingidas pelo Covid-19: não houve mortes e foram registrados 18 casos.

Outra região, Guizhou, no sudoeste do país, algumas escolas deverão retomar as aulas no dia 16.

Fonte: G1
Compartilhar no G+