Ceará passa a realizar mil testes por dia do novo coronavírus a partir da próxima semana


A informação foi repassada pelo secretário da Saúde, Dr. Cabeto, em coletiva na tarde desta segunda-feira.


Até a semana que vem o Ceará ter a capacidade de realizar cerca de mil testes por dia para a detecção do novo coronavírus. A informação pelo secretário da Saúde do Estado, Carlos Roberto Martins, o Dr. Cabeto, em coletiva de imprensa na noite desta segunda-feira (6), que também contou com a participação da secretária de Saúde do município, Joana Maciel. Atualmente, são feitos cerca de 400 exames por dia no estado. Já foram detectadas 1.023 ocorrências da Covid-19, além de 31 mortes.

A última atualização da plataforma IntegraSUS mostra que foram feitos, até o momento, 6.422 exames, tanto na rede pública quanto nos laboratórios estaduais. Além da capacidade do Laboratório Centra de Saúde Pública do Ceará (Lacen), o aumento no número de análises terá apoio das estruturas e equipes da Universidade de Fortaleza (Unifor) e da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Dr. Cabeto salientou ainda que até o dia 15 de abril devem estar chegando ao Ceará 300 mil novos testes rápidos para auxiliar a detecção do novo coronavírus, além de outros 700 respiradores, esperados para até o final de abril.

Protocolo de internações

Durante a coletiva também foi explicado o novo protocolo para o tratamento dos casos de novo coronavírus em Fortaleza e no interior do estado. Os pacientes com sintomas serão avaliados em Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), postos de saúde ou policlínicas. Aqueles acima de 60 anos ou que apresentem comorbidades serão levado a unidades intermediárias, onde poderão ficar internados para que acompanhada a evolução da doença.

São consideradas unidades intermediárias o hospital de campanha montado no estádio Presidente Vargas, no Bairro Benfica, bem como nos anexos com ampliação de leitos no Hospital Geral de Fortaleza (HGF), no Hospital de Messejana, no Hospital César Cals e no Hospital Albert Sabin.

Na Região Metropolitana e no interior, terão a estrutura e equipes reforçadas para funcionar como unidades intermediárias hospitais de Maracanaú, Caucaia, Aracati, Crateús, Icó, Iguatu, Brejo Santo, Tianguá e Itapipoca.

Nos casos de infecção mais graves, os pacientes serão levados a unidades de alta complexidade, que em Fortaleza são o Hospital Leonardo da Vinci, reativado exclusivamente para o tratamento da Covid-19, e o hospital Instituto Dr. José Frota 2 (IJF 2), que deverá ter 175 leitos voltados somente para a enfermidade até o mês de maio.

Outras unidades que funcionarão como referência para a alta complexidade de Covid-19 são os hospitais regionais de Sobral, Quixeramobim e Juazeiro do Norte, que contarão, ao todo com 200 novos leitos críticos.

Prorrogação do decreto

O chefe do executivo, havia feito um anúncio, na noite deste domingo (6) sobre a revogação da decisão que havia tomado horas mais cedo de relaxar a quarentena no estado. Por volta das 21h30, Camilo Santana havia dito que estariam liberadas as atividades de parte da indústria, comércio das áreas de limpeza, higiene e material de construção, além de feiras populares.

Contudo, por volta das 23h50, o governador voltou a usar as redes sociais para afirmar que desistiu da flexibilização da quarentena. Ele argumentou que foi alertado pelo comitê que estuda a evolução do vírus no estado.

Diante da argumentação feita pelo nosso Comitê de Saúde, demonstrando preocupação com as flexibilizações de funcionamento colocadas pelo Governo do Estado nesse último decreto que entraria em vigor nesta segunda-feira (6), decidi revogar imediatamente o mesmo, e publicar um novo decreto, mantendo todas as proibições dos decretos anteriores, e com o mesmo prazo de validade de 15 dias. Se houve um erro nessa proposta de flexibilização, que seja imediatamente corrigido.

Com o novo anúncio, fica valendo até 20 de abril o decreto que proíbe o funcionamento de atividade não essencial:

Bares, restaurantes, lanchonetes e estabelecimentos congêneres;

Templos, igrejas e demais instituições religiosas;

Museus, cinemas e outros equipamentos culturais, público e privado;

Academias, clubes, centros de ginástica e estabelecimentos similares;

Lojas ou estabelecimentos que pratiquem o comércio ou prestem serviços de natureza privada;

Shopping center, galeria, centro comercial e estabelecimentos congêneres, salvo quanto a supermercados, farmácias;

Serviços de saúde no interior dos referidos dos estabelecimentos;

Feiras e exposições.

Desobediência à quarentena

Somente entre os dias 20 de março e 5 de abril, a Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops) da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) atendeu a 7.836 ocorrências por descumprimento ao isolamento social previsto em decreto assinado pelo governador Camilo Santana, como medida de combate à Covid-19. Os dados abrangem os núcleos da Ciops em Fortaleza, Sobral e Juazeiro do Norte.

Dessas quase 8 mil ocorrências, 3.891 referem-se a aglomerações de pessoas e 3.945 à abertura de comércios considerados não essenciais. Ao longo dos 17 dias, portanto, houve uma média de cerca de 460 ocorrências a cada 24 horas.

O Ceará é um dos estados mais afetados pela Covid-19, doença causada pelo coronavírus, o que acendeu o alerta do Ministério da Saúde. Conforme a pasta, a situação da doença no estado pode estar evoluindo para um crescimento descontrolado.

Foram mais de 1 mil casos confirmados no estado e 29 óbitos em decorrência da doença, conforme dados divulgados pela Secretaria da Saúde no Ceará nesta segunda-feira (6).

O decreto estadual foi publicado no dia 19 de março e havia sido prorrogado uma vez até o próximo domingo (5). O descumprimento das medidas prevê multa diária de até R$ 50 mil.

Assembleia aprova pagamento de contas para consumidores de baixa renda

Ceará deve precisar de mil leitos de UTI em três meses para tratar Covid-19

Empresa chinesa cancela venda de 600 respiradores contratados




Fonte: G1 Ceará
Compartilhar no G+