Reclusão domiciliar por Covid-19 gera redução de 61% em acidentes no Ceará

Reclusão domiciliar por Covid-19 gera redução de 61% em acidentes — Foto: Leabem Monteiro

Sinistros em rodovias estaduais passaram de 123, entre 17 a 31 de março de 2019, para 48 neste ano, aponta Detran.

A rotina atípica provocada pela pandemia de coronavírus fez cair o número de acidentes nas rodovias do Ceará. Balanço do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) revela que entre 17 e 31 de março deste ano foram registrados 48 sinistros, uma queda de 61% em relação ao mesmo período de 2019, que teve 123 incidentes.

Em igual intervalo de tempo, uma nova redução: as mortes nas estradas estaduais passaram de 21, no ano passado, para 9 em 2020. O Detran, porém, não informou os municípios onde as ocorrências aconteceram.

Somente em Fortaleza, a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) contabilizou um decréscimo de 73% nos casos envolvendo condutores. Se entre 19 e 29 de março de 2019, a Capital teve 351 acidentes; neste ano, o número chegou a 95 apenas. O órgão também aponta que os sinistros com mortes caíram 20%, assim como as ocorrências com vítima, 58,2%.

“Essas reduções proporcionam a melhoria do sistema de atendimento de emergência. Isso porque menos pessoas estão correndo risco nas ruas e acabam dando a oportunidade de quem, nesse momento, precisa efetivamente desse serviço encontrar vagas de imediato nas redes públicas e particular”, justifica o superintendente da AMC, Arcelino Lima.

Isolamento social

A diminuição nos acidentes em rodovias estaduais e na Capital acontece em meio à orientação de isolamento social. A reclusão domiciliar para evitar a propagação da Covid-19 foi reforçada pelo governador Camilo através de decretos que restringem o funcionamento de serviços, como educação e comércio.

Por causa das novas confirmações de Covid-19, a AMC precisou realocar os agentes. Atualmente, o efetivo trabalha em “regime de contingenciamento”, uma vez que as atividades de fiscalização deixaram de ser prioritárias.

“O nosso trabalho é muito proporcional ao volume de carros nas ruas. Se há pouco fluxo, reduz a necessidade de efetivo. Atualmente, as atividades estão mais específicas para tentar ajudar a cidade na reversão desse problema", considera o superintendente.

Apesar da mudança de prioridade, o órgão municipal ressaltou que a fiscalização através das 110 câmeras de videomonitoramento e dos fotossensores continua. Os equipamento identifica em tempo real possíveis transgressões à legislação de trânsito.

Fonte: G1 Ceará
Compartilhar no G+