Bebê de um ano recebe alta após 25 dias internada por Covid-19 em Fortaleza

Mãe comemora recuperação da filha após 25 dias internada com Covid-19 — Foto: Arquivo pessoal

Ceará tem mais de oito mil casos da doença, sendo 135 em crianças de até quatro anos.

Maria José Oliveira, 32 anos, residente do município Senador Pompeu, interior do Ceará, precisou percorrer 266 km para que a filha Janiele, de um ano e sete meses, fosse atendida no Hospital Infantil Albert Sabin (Hias), em Fortaleza. A viagem ocorreu após a mãe ser notificada de que a bebê estava com pneumonia. Em 6 de abril, o exame deu positivo para Covid-19, e Janiele iniciou o tratamento - que durou 25 dias, concluído quando ela recebeu alta, na quinta-feira (30).

O Ceará contabiliza mais de oito mil pessoas infectadas e 590 óbitos, conforme dados atualizados neste sábado (2) pela Secretaria da Saúde (Sesa); 135 casos ocorrem em crianças de quatro anos de idade ou menos.

Desde o dia 20 de março, o estado já registra transmissão comunitária da doença, em que a origem do contágio vírus é desconhecida e não possui mais fonte identificada. Apesar disso, o diagnóstico da filha ainda foi uma surpresa para Maria José. “Não sei como, nem onde ela pegou”, diz.

Durante as quatro semanas no hospital, Maria José acompanhou a batalha de outros pacientes e escutou relatos de mortes. O medo de que o quadro da filha piorasse foi constante, apesar de todo acolhimento e cuidado que recebeu dos profissionais de saúde, principalmente médicas e enfermeiras.

"Acho que a população deveria pensar nos profissionais de saúde que estão arriscando a vida para cuidar deles, porque eles não estão cumprindo e os hospitais estão todos lotados, não tem mais vaga", afirma. Gratidão

Ao retornar para casa, a agricultora sente gratidão pela melhora da pequena Janiele. “Apesar de minha filha não ter tido os sintomas que muitos têm, é muito ruim. É uma sensação muito ruim passar por isso. Qualquer tosse a gente já fica assustada, por causa dessa doença, que é muito complicada”, comenta.

Para evitar o aumento nos casos e no número de óbitos, Maria José insiste que as pessoas “continuem fazendo o que (as autoridades) estão pedindo, porque acho que é a melhor maneira de evitar o contágio”.

Bebês e crianças de até 4 anos de idade já somam 125 confirmações e duas mortes por covid-19 no Ceará. Outros 39 casos já atingem os pequenos de 5 a 9 anos.




Fonte: G1 Ceará
Compartilhar no G+