Ocupação de leitos para Covid-19 e ventilação mecânica aumenta 400% em pouco mais de um mês no Ceará

UTI no Hospital Leonardo da Vinci, unidade adquirida pelo estado para atendimentos do novo coronavírus — Foto: Divulgação/Governo do Estado

Dados fazem parte do boletim epidemiológico da secretaria da saúde divulgado nesta noite.

A ocupação de leitos de enfermarias e UTIs destinados a pacientes com Covid-19 e a pessoas que necessitam de ventilação mecânica aumentou 400% entre 2 de abril e 5 de maio, segundo boletim epidemiológico divulgado nesta quarta-feira (6) pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesa).

Isolamento mais rígidas em Fortaleza: quando posso sair de casa e quando não posso O quadro da pandemia se agravou no Ceará nas últimas semanas, em especial, na capital, que vai ser submetida à regras rígidas de circulação de pessoas. (leia abaixo sobre a renovação do decreto)

Os hospitais que tiveram as maiores taxas de ocupação no período foram: Leonardo da Vinci, com 100% de ocupação nas enfermarias e 96,3% na UTI; Hospital Geral de Fortaleza (HGF), 87,8% na enfermaria e ocupação total nas UTI; Hospital de Campanha Previdente Vargas, que atingiu a capacidade máxima nas enfermarias e 90% nas UTIs. A Sesa ressalta que o estado conta com 800 leitos de enfermarias e 621 de UTI, além disponibilizar 419 ventiladores mecânicos, equipamentos necessários para tratar pacientes com a capacidade respiratória bastante comprometida.

Picos

A quantidade de casos da doença atingiu dois picos, nos dias 23 de março e 20 de abril, ápices de um crescimento que vinha desde 4 de março. Entre 23 e 29 de abril, a quantidade de pessoas com a doença permaneceu estável, voltando a crescer nos dias seguintes. "O acréscimo pode estar associado ao descumprimento das medidas de isolamento social por parte da sociedade", diz a Sesa no documento.

Ceará passa de 800 óbitos por Covid-19

O total de 849 confirmações de mortes por Covid-19 foi registrado nesta quarta-feira (6) no Ceará, o que representa um aumento de 54 óbitos em relação ao do dia anterior, quando foram constatados 795 falecimentos. No dia em que o estado ultrapassou os 800 mortos, também alcançou-se 12.310 casos confirmados, conforme os dados atualizados pela plataforma IntegraSUS às 17h20.

Fortaleza enfrenta o quadro mais grave da pandemia no estado. Na capital, já são 9.061 casos e 651 mortes, números maiores em 541 e 42 do que nesta terça-feira (5). No estado, foram 840 novos casos nas últimas 24 horas.

Isolamento mais rígido

Na manhã desta terça-feira (5), o governador Camilo Santana e o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, anunciaram que o período de isolamento social no Ceará será estendido por mais 15 dias, indo até 20 de maio, com uso obrigatório de máscaras por toda a população.

Em Fortaleza, a partir de sexta-feira (8), fica "vedada a circulação de pessoas" em locais ou espaços públicos "salvo quando em deslocamentos imprescindíveis para acessar as atividades essenciais". O decreto também estabelece "controle de veículos particulares em vias públicas, salvo deslocamentos devidamente justificados, bem como veículos de serviços essenciais em funcionamento".

A prorrogação anterior do decreto de isolamento social no Ceará havia sido anunciada no dia 19 de abril e tinha validade no estado até esta terça-feira. Esta foi a quarta vez que o governo do Ceará adia o fim da quarentena para diminuir a transmissão do novo coronavírus.

O governo do Ceará vai utilizar o sistema de videomonitoramento da Secretaria da Segurança e dos órgãos de trânsito para fiscalizar o deslocamento de pessoas durante a vigência do novo decreto de isolamento social.




Fonte: G1 Ceará
Compartilhar no G+