Pacientes com Covid-19 e de áreas vulneráveis vão cumprir quarentena no CFO

Centro de Formação Olímpica (CFO), em frente à Arena Castelão. — Foto: Gioras Xerez/G1 Ceará

Prefeito de Fortaleza informou que centro vai ser unidade para acolher pessoas que precisam ficar em isolamento.

O prefeito de Fortaleza Roberto Cláudio afirmou em live na noite desta quinta-feira (28) que o Centro de Formação Olímpica (CFO), no bairro Castelão, vai funcionar como um local de acolhimento para pacientes de Covid-19, de áreas vulneráveis, que têm sintomas leves e precisam ficar isolados, em quarentena. A expectativa é que o local comece a funcionar a partir de junho.

"Os dois critérios básicos são esses, pacientes positivos com sintomas leves e que sejam de áreas com maior vulnerabilidade, pobres, e que a presença do paciente em comunidades com alto adensamento pode ser um risco maior para a disseminação da doença", afirma Roberto Cláudio.

Segundo o prefeito, os pacientes serão selecionados pelo Programa Saúde da Família, que ficará responsável por identificar positivados com o novo coronavírus que estejam dentro dos critérios. Alé disso, a internação no local será voluntária.

"Acaba sendo mais seguro para o próprio paciente, que vai está sendo assistido, que vai está sendo monitorado e também será positivo para a própria família, que evitará um risco maior de contaminação da doença", explica o prefeito.

Ainda durante a transmissão, Roberto Cláudio informou que manhã a tarde serão inaugurados mais dez leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) no Instituto Doutor José Frota (IJF) 2, totalizando 90 leitos de UTI para pacientes mais graves com Covid-19.

Estado de isolamento social deve permanecer

Em uma primeira transmissão ao vivo na tarde desta quinta-feira (28), o prefeito de Fortaleza reforçou que a decisão pelo isolamento social na cidade deve permanecer, mesmo com o início da implantação do plano de retomada econômica formulado pelo governo do Ceará e divulgado também nesta quinta.

A gente vai começar a partir de segunda-feira uma fase de transição. Em que atividades bem específicas, de baixo impacto sanitário serão liberadas, até mesmo pra gente fazer um teste, acompanhar como é a adesão dessas empresas ao protocolo de segurança da saúde, saber como vai funcionar o transporte, se isso vai gerar ou não aglomerações, quais são os riscos. Então é uma fase em que a gente vai poder acompanhar, monitorar e testar a implantação dessa nova retomada de alguns setores bem específicos", afirma.

O governador do Ceará, Camilo Santana, divulgou nesta quinta-feira (28) os detalhes do plano de retomada das atividades econômicas do estado em recuperação aos efeitos da epidemia do novo conoravírus (SARS-CoV-2). A partir do dia 1º de junho até o dia 7, haverá uma fase de transição, seguida por outras quatro, cada uma com 14 dias, com a divisão das atividades liberadas para retomarem por grupos. Já na primeira fase, setores do comércio já poderão funcionar. Escolas estão na última fase.

Também na primeira fase serão permitidas a atuação da indústria química, 30% da cadeia da construção civil em obras com até 100 operários; lojas de construção civil; cadeia da saúde (óticas, escritórios, clínicas de dentistas); e cuidados pessoais, como cabeleireiros e barbeiros.

Todo o processo será avaliado e poderá sofrer mudanças, contudo. Segundo Camilo, o plano de retomada é comportamental, baseada em critério de risco sanitário e outro econômico e social. As fases serão especificadas por decretos.

O anúncio foi feito por meio das redes sociais do governador. Antes, no mesmo pronunciamento, o secretário da Saúde do estado, Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho, o dr. Cabeto, mostrou gráficos que, segundo ele, demonstram a eficácia do isolamento social na redução do crescimento de casos e óbitos por Covid-19.

Confira abaixo como será o retorno de cada setor da economia durante o plano de retomada econômica no Ceará.

Fase de transição (1/06)




Primeira fase (8/06)



Segunda fase (22/06)



Terceira fase (6/07)



Terceira fase (20/07)



Confira alguns destaques do plano de retomada econômica

Escolas

Passam a funcionar na quarta fase do plano, inicialmente a partir de 20 de julho

Igrejas e templos

Entre 22 de junho e 5 de julho podem funcionar com 20% de sua capacidade

Entre 5 e 19 de julho podem funcionar com 50% de sua capacidade

A partir de 20 de julho podem funcionar com 100% da capacidade

Salões de beleza e barbearias

A partir de 1º de junho poderão funcionar com 30% de sua capacidade

A partir da terceira fase poderá funcionar com 100% de sua capacidade

Academias, clubes, shows e espetáculos

Poderão funcionar com 100% da capacidade na quarta fase do plano, inicialmente a partir de 20 de julho

Shoppings

A abertura dos estabelecimentos nos shoppings segue a ordem de abertura de cada setor de comércios e serviços, contando a partir da primeira fase do plano, inicialmente prevista para 8 de junho

Cinemas

Poderão funcionar com 100% da capacidade na quarta fase do plano, inicialmente a partir de 20 de julho

Treinos dos times de futebol

Os clubes de futebol participantes da final do Campeonato Cearense (Ceará, Fortaleza, Ferroviário, Barbalha, Guarany de Sobral, Pacajus e Caucaia) poderão voltar a treinar já na fase de transição, a partir de 1º de junho

Também em 1º de junho poderão volta a treinar atletas de esportes individuais

Transporte

Metrofor e transporte rodoviário na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) estão na fase de transição e voltarão a funcionar a partir de 1º de junho com 30% da capacidade

Transporte rodoviário interestadual, excursões e locação de automóveis fazem parte da 4ª fase da retomada, a partir de 20 de julho Números no Ceará

O número de mortes provocadas pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) chegou a 2.671 nesta quarta-feira (27) no Ceará. Os casos de infectados pela Covid-19 atingiu 37.275 pessoas até as 17h21, última atualização da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde.

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.



Fonte: G1 Ceará
Compartilhar no G+