Salões e barbearias descumprem lockdown em Fortaleza e abrem as portas após decreto de Bolsonaro

Salões e barbearias voltaram a funcionar no Ceará após decreto do presidente Jair Bolsonaro, contrariando decreto estadual — Foto: Fabiane de Paula/SVM

G1 flagrou nesta terça (12) alguns espaços abertos mesmo diante do decreto de isolamento social rígido do Governo do Estado do Ceará.

Após o presidente Jair Bolsonaro registrar serviços de beleza como essenciais, salões e barbearias abriram as portas em Fortaleza nesta terça-feira (12). O funcionamento descumpre um decreto estadual que impõe isolamento social rígido na capital cearense, o chamado "lockdown".

O G1 flagrou estabelecimentos abertos nos bairros da Parquelândia, Montese e José Walter. A multa prevista pelo Governo do Estado é de R$ 50 mil por dia para cada espaço sem autorização que descumpra a medida.

Conforme o STF, os estados têm autonomia para adotar medidas de isolamento social, independente dos decretos do presidente Jair Bolsonaro. Em Fortaleza foi adotado um lockdown, medidas sociais mais rígidas, que determina que as pessoas só podem sair de casa para cumprir atividades essenciais.

A Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis) relatou não ter identificado nenhum estabelecimento aberto. Na segunda (11), o governador Camilo Santana utilizou as redes sociais para retificar que salões e barbearias devem permanecer fechados, mesmo com o decreto presidencial. O mesmo vale para as academias, também descritas como serviços essenciais pelo presidência da República.

“Informo que, apesar do presidente baixar decreto considerando salões de beleza, barbearias e academias de ginástica como serviços essenciais, esse ato em nada altera o atual decreto estadual em vigor no Ceará, e devem permanecer fechados. Entendimento do Supremo Tribunal Federal”, publicou.

A decisão está sendo executada pelo empresário Raphael Silveira, proprietário da Silveira's Barbershop, na Aldeota. Apesar dos prejuízos financeiros, o também cabelereiro ressaltou que o período é de reinventar o negócio para seguir ativo.




“A gente estava funcionando como delivery, atendendo o pessoal em casa, mas com a restrição maior do novo decreto decidimos parada pensando no que está acontecendo, no número de casos de Covid-19. Paramos delivery, o salão e estamos trabalhando com outras coisas, se reinventando, vendendo planos com serviços, indo para a confecção para ajudar no custeio dos funcionários”, explicou.

Antes, o fluxo de clientes no espaço era entre 190 e 230 pessoas por semana.

Avanço do coronavírus no Ceará

O Ceará registrou a morte de 1.257 pessoas por Covid-19, além de 18.215 casos da doença confirmados, até a tarde desta terça. Houve, contudo, a recuperação de 9.234 pessoas que contraíram a doença. Os dados são da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde do estado.

Em relação à última atualização desta segunda-feira (11), houve um aumento de 68 mortes. A doença passou hoje dos 18 mil casos confirmados.

Fortaleza, por sua vez, confirmou 934 óbitos causados pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) e 12.331 diagnósticos positivos.

Veja outras informações da plataforma:

São 31.856 casos suspeitos;

47.638 testes realizados;

A taxa de letalidade da doença no CE é de 6,9%.




Fonte: G1 Ceará
Compartilhar no G+